Desperte a alta performance com o Feedback

por Hercules Pires

Desde os tempos passados a comunicação se faz importante para a humanidade. Ela é, sem dúvidas, uma das mais importantes necessidades humana depois da sobrevivência física. O homem é um ser social e necessita da comunicação do mesmo modo que o corpo requer água e alimento para um bom funcionamento. Todos os conceitos mais relevantes que compreendem nossa sociedade passam de uma forma ou de outra pela comunicação, inclusive o próprio conceito de sociedade. Foi por causa da necessidade de mostrar ao outro suas idéias e seu planejamento que a “palavra” foi criada. Com a palavra oral e escrita começamos a registrar nossa história. Sem as pinturas rupestres nas paredes das cavernas, sem os papiros mesopotâmicos ou egípcios, sem o pensamento filosófico dos gregos, por exemplo, não conheceríamos tão bem como viviam nossos antepassados, o que permitiu tomar lições importantes para os rumos da sociedade moderna. A comunicação esteve presente em momentos fundamentais da vida na Terra. No Iluminismo e no Renascimento e até mesmo nos ensinamentos de Jesus Cristo. Saber se comunicar é condição para a vida e também para o mundo corporativo. É necessário ter muitas qualidades para o desenvolvimento profissional e pessoal e a comunicação é uma delas.

Grande parte dos problemas corporativos e também pessoais é proveniente da falta de comunicação. Isso porque ela é parte fundamental do desenvolvimento das qualidades de uma pessoa e afeta profundamente as relações que todos temos com outras pessoas, com o trabalho e com a vida. Torna-se cada vez mais essencial que comuniquemos nossas idéias de forma clara, objetiva e direta, o que permite que não existam ruídos na mensagem que estamos passando. Ao eliminar ou minimizar, quaisquer ruídos, poupamos tempo e encontramos melhores soluções para os problemas. Mas ainda é preciso ir mais fundo. Além de comunicar de forma clara e ter domínio do assunto, é necessário que as pessoas o entendam. Dessa forma, sempre se faz necessário adequar à linguagem aos que estão à sua volta. Imagine-se como uma estação de rádio. Em algum lugar a transmissão está acontecendo, porém só vai captar aquela mensagem quem estiver com o rádio ligado e na mesma sintonia. Assim são as pessoas, nem sempre o que você fala é ouvido e compreendido.

Fernando Salas, coach de comportamento

Praticamente todos os dias sejam na vida pessoal ou profissional temos a necessidade de nos comunicar, expressando nossas opiniões, sentimentos ou argumentos sobre determinada situação ou pessoa. Nós nos comunicamos para sermos reconhecidos e aceitos, expressamos o que somos e para que as pessoas saibam nosso ponto de vista. Nós somos do tamanho da comunicação que conseguimos estabelecer no meio em que vivemos, seja socialmente ou profissionalmente. Um nome mais técnico dado a esse momento é feedback. A palavra feedback traduzida literalmente do inglês significa “comentários”. Fernando Salas, coach de comportamento, comenta que “em diversas ocasiões damos e recebemos feedback. O feedback se faz necessário para promover uma orientação de desenvolvimento, sendo bem mais complexo do que uma simples crítica utilizada no dia a dia e que comumente é confundida com o feedback. Feedback nada mais é do que comunicar uma pessoa sobre um contexto, uma situação, um comportamento específico no qual ela foi observada e que suas ações não estão de acordo com as expectativas esperadas. Devendo sempre ser feito de maneira específica e sem interpretações pessoais sobre os fatos. Feedback na tradução literal é alimentar de volta, ou seja, dar para a pessoa um retorno sobre um comportamento observado. Ninguém melhor do que uma pessoa de fora para observar um comportamento que não produziu o resultado esperado”.

Bruno Rodrigues, coach pessoal

Por instinto humano, temos o pensamento de que receber alguma informação externa sobre nosso comportamento, postura e até mesmo sobre nosso físico é visto como uma critica. Porém vale ressaltar a diferença entre um feedback e uma crítica. Se interpretarmos como ataque qualquer comentário que não seja positivo, descartaremos qualquer coisa útil que alguém possa nos dizer. A crítica é acusatória e faz julgamentos. Ela pode envolver rotular, pregar sermões, dar aulas de moral e até ridicularizar. O feedback se concentra em oferecer informações concretas para motivar a pessoa que as recebe a rever seus comportamentos. A crítica envolve fazer pressuposições negativas sobre as motivações da outra pessoa. O feedback não reage à intenção, mas ao resultado real do comportamento dela. A crítica, se malfeita, frequentemente inclui ordens e ultimatos, fazendo com que a pessoa que a ouve fique na defensiva, o que anula quaisquer eventuais benefícios. Já o feedback não analisa tanto como a pessoa deve mudar, mas procura debater os benefícios da mudança. Para Bruno Rodrigues, “Infelizmente a realidade vem se mostrando o oposto da real essência ligada ao feedback, comumente é visto um diálogo simples e/ou conversas críticas sem sentido e sem projeções à melhorias de desempenho, que ao invés de instalar um gatilho mental de evolução e proatividade no indivíduo, são instaladas emoções negativas que impedem o seu desenvolvimento. Por este motivo, FEEDBACK NÃO É CRÍTICA! O propósito principal ao fornecê-lo não é avaliar o desempenho já executado, mas sim realizar um reforço em relação ao resultado atual e apoiar o indivíduo a desenvolver novas possibilidades para que seja alcançada a alta performance, ou seja, avançar para o próximo nível em resultados e execução. E ao criticar, é utilizado um caráter totalmente avaliativo sem muitas possibilidades de agregar valor.” O feedback tem muito poder em relacionamentos profissionais, mas também entre pessoas em uma amizade ou até relacionamentos amorosos. É extremamente importante que haja esse momento de feedback no qual são debatidos temas da convivência que talvez necessitem de mudança ou até mesmo pontuar atitudes positivas do parceiro ou parceira.


“Ninguém melhor do que uma pessoa de fora para observar um comportamento que não produziu o resultado esperado” – Fernando Salas, coach de comportamento


Existem diversas técnicas para a comunicação efetiva, ou seja, para dar e receber um feedback. De maneira mais prática:

Como dar o feedback perfeito?

Ao contrário do que muita gente pensa, é possível dar e receber feedback sem sofrimento e ser algo de forma natural. Mesmo o feedback informal torna-se mais eficaz se seguir os seguintes passos:

Quando ocorreu?

Para falar sobre um comportamento que não foi bem percebido, você deve começar pontuando quando ele ocorreu: em que dia, em que momento, em que situação. Nunca dê o feedback imediatamente após o ocorrido, quando a cabeça ainda pode estar quente. Espere pelo menos um dia antes de ter essa conversa.

O que ocorreu?

Especifique o fato. É importante falar isoladamente de um evento, para não correr o risco de generalizar e dar a entender que o comportamento da outra pessoa é sempre negativo, o que poderia comprometer a eficácia do feedback.

Qual foi o impacto?

O comportamento em questão gerou algum prejuízo para a empresa, para a equipe ou para você? Qual foi o impacto? Só as situações que tenham algum impacto são necessários de um feedback.

Qual a consequência?

Esse é o momento de mostrar que, se o comportamento persistir, haverá perdas para a pessoa e o ambiente no qual ela atua.

Proponha um acordo!

Traga a outra pessoa para a conversa e pergunte a ela o que pode ser feito para mudar a situação. Esse é o momento de ouvir o outro lado da história, e é importante estar aberto e prestar atenção, procurando entender a posição da pessoa. Normalmente, quando o feedback está sendo passado por alguém, chega-se a um acordo sobre mudança do comportamento ou atitude em questão. É imprescindível que os dois combinem uma data para conversarem novamente, avaliando o cumprimento desse compromisso de mudança entre eles.

E como receber um feedback?

E na hora de receber? Primeiro de tudo, valorize esse momento. É a partir dessa avaliação que você saberá quais habilidades precisa melhorar e quais conhecimentos novos precisam ser adquiridos, ou seja, é uma oportunidade valiosa para se conhecer melhor. Por isso mesmo, quando recebemos um feedback, não devemos ficar arrumando desculpas, e sim agradecer. É importante não se defender com frases como: “não é bem isso”, “você entendeu errado”, “não é isso que eu quis dizer”, “eu sou assim mesmo”, entre outras. Dito isso, reflita sobre os pontos trazidos pelo seu colega de trabalho, líder, amigo ou parceiro. O feedback sem análise posterior não adianta nada.

Existem três passos, segundo Fernando Salas, para receber o feedback de forma efetiva:

1º – A atitude mental adequada para receber o feedback: Ter consciência de que por mais que o comunicador não esteja utilizando o feedback da melhor maneira, ele tem a intenção de ajudar. Se ele está tentando me dar um feedback é porque ele se preocupa comigo.

2º – Sair do feedback tendo claro os pontos de melhoria e os resultados esperados. Caso o comunicador não tenha sido específico, questione o que especificamente ele espera de você.

3º – Se a abordagem do comunicador não foi feita de maneira adequada, dê esse retorno a ele. Você o ajudará em seu crescimento também.

Quando nos comunicamos bem, de maneira sóbria, eficaz, realizamos uma viagem de compreensão, nos tornamos companheiros, cúmplices nessa travessia, somos vistos, ouvidos e lembrados.  é preciso mobilizar nossos recursos internos e externos para facilitar a arte do diálogo, que não é um simples despejar de palavras, é ir ao encontro, questionar, para poder responder, dando chances para a troca democrática de idéias e debates, gerando um clima de confiança e bem estar, utilizando a empatia na busca do processo de sinergia, é através desta busca simultânea, que conseguiremos construir verdadeiras relações, com mais propriedade, causando impacto nos vários grupos sociais. As relações sempre geram expectativas entre as partes envolvidas, estas que podem ser explícitas ou implícitas, portanto, dizer sobre o quanto o outro tem agido conforme as expectativas são de suma importância, bem como receber estas informações se faz útil. No processo de desenvolvimento da competência interpessoal, feedback é um processo de ajuda para mudanças de comportamento, é comunicação a uma pessoa, ou grupo, no sentido de fornecer informações sobre como sua atuação está afetando outras pessoas. Feedback eficaz ajuda o indivíduo ou grupo a melhorar seu desempenho e assim alcançar seus objetivos. Estar sempre preparado para dar e receber um feedback é um bem para si e para a sociedade, pois além de uma melhora continua individual, é possível contribuir para uma sociedade mais bem resolvida e menos intransigente.


Hercules Pires

Hercules Tadeu Pires é administrador, especialista em gestão de negócios e marcas pessoais, empresário, palestrante e apaixonado por empreender. Fascinado por histórias e compartilhar ideias, fundou a Faros Business em 2014 e, desde estão, transforma conhecimento em cases de sucesso. Amante da arte, cultura e de vinhos. Busca inspirações ao redor para suas criações, que é um hobby. Entende que seu propósito de vida é extrair sorrisos sinceros e o melhor das pessoas em busca de evolução, sucesso e bem estar.

, , , , , , , , ,