Vida que Segue

por Pe. Silvio César da Silva

Os tempos humanos são responsáveis pelos seus próprios comportamentos. “É natural, em nossas conversas saudosas, escutar sempre: “..no meu tempo…”. Outro grande desafio nessa rede de relações, é comparar comportamentos e, claro, sempre na postura de sermos juízes do que é bom ou ruim, do que presta ou não. Tempos novos, sempre trazem novas posturas que desafiam o legado das tradições.

Perdemos ou ganhamos com esses modos diversificados de se expressar a vida?

Ouso encontrar o valor da religião, como um elemento que pode ser um sinalizador de posturas mais calmas e serenas, diante desse leque de possibilidades. E como falar de religião num mundo que nem mesmo sabe dialogar com religiões?

É sempre bom ter em mente que a melhor religião é aquela que nos faz melhor, que nos faz mais compassivos, mais sensíveis, mais amorosos, mais humanitários, mais responsáveis.

Pensando dessa forma, evidentemente não encontraremos uma religião completa, mas perceberemos que todas vivem um esforço de oferecer algo bom, para qualificar mais a vida humana e seus modos.


Se hoje percebemos um vazio de valores ou uma estranheza nos modos de viver a vida, quem sabe questionar-se sobre o valor espiritual que deixamos de cultivar, pode ser uma pista de reencontro do equilíbrio pessoal


Falando em religião, podemos falar nessa força transcendente ou, ousar definir tal força como Deus. O encontro com Deus é um encontro amoroso e não um encontro intelectual, como se Deus coubesse na nossa cabeça. É encontro de “enamoramento”, tudo n’Ele é interessante. Podemos fazer a experiência de nossa mais radical realidade. Nascemos de um ato amoroso de Deus, recorda-nos o Livro Sagrado do Cristianismo.

Deus é Aquele que nos oferece a fé e nesse encontro desarmado com Ele, experimentamos o que, muitas pessoas já experimentaram.

A fé nos transfigura! O encontro com Deus pode nos transformar. Descobrimos nesse encontro um caminho espiritual e espiritualidade tem a ver com experiência, não com ritos, dogmas…

A espiritualidade não é monopólio das religiões, nem dos caminhos espirituais codificados. A espiritualidade é uma dimensão do ser humano, onde cada um se revela pela capacidade de diálogo consigo mesmo e com o próprio coração.

Se hoje percebemos um vazio de valores ou uma estranheza nos modos de viver a vida, quem sabe questionar-se sobre o valor espiritual que deixamos de cultivar, pode ser uma pista de reencontro do equilíbrio pessoal.

Uma pessoa só pode se sentir verdadeiramente amada depois de ter sido conhecida e acolhida, a partir daquilo que tem de melhor e também daquilo que tem de pior. E assim é o amor de Deus, um amor redentor.

Configurar a vida em Deus pode ser o início de uma mais significativa travessia!


Pe. Silvio César da Silva

Silvio César da Silva é natural de Cruzeiro e sacerdote da Congregação Salesiana. Tem formação pela Pontifícia Universidade Salesiana de Roma, sendo mestre em Catequese Pastoral. Atua como pároco da Paróquia Sagrada Família, em São José dos Campos e apresentador na TV Canção Nova.

, , , ,