5 dicas para incentivar as crianças a se alimentarem bem

PhD em Nutrição Sophie Deram ensina a incentivar as crianças a se alimentarem bem desde sempre, tornando a criança confiante e confortável com o ato de comer

Da Redação | outrosquinhentos.com

A forma de se alimentar quando criança – tanto em variedade, qualidade e quantidade- é decisiva para o comportamento à mesa na vida adulta. Pesquisas comprovam que o paladar se forma na infância, por isso, ter uma relação saudável com os alimentos durante essa fase da vida é fundamental.

“As primeiras interações com a comida trazem consequências lá na frente, por isso, se a criança aprender desde cedo a se relacionar de forma positiva com aquilo que come, terá uma relação tranquila com o ato de comer durante toda a vida”, avalia a PhD em Nutrição Sophie Deram, autora do best-seller “O Peso das Dietas”.

Educar o paladar da criança é uma das principais formas de prevenção da obesidade infantil e adulta. Segundo dados do Ministério da Saúde, 12,9% das crianças brasileiras de 5 a 9 anos convivem com obesidade. O mesmo estudo aponta que crianças acima do peso têm 75% mais chance de serem adolescentes obesos, e que, entre os adolescentes obesos, há 89% de chance que se tornem adultos obesos.

“Muitos pais me procuram para obter dicas para fazerem os filhos comerem bem, geralmente por se depararem com dificuldades como a recusa ou seletividade alimentar. Minha primeira dica é que os pais procurem fazer eles mesmo as pazes com a comida e dispor de tempo para se dedicar à alimentação dos filhos, principalmente na fase da introdução alimentar – que em geral se inicia em torno dos 6 meses e vai até cerca de 12 meses. Se não for possível que os próprios pais promovam a educação alimentar do bebê, é preciso que estejam alinhados com todos os cuidadores da criança – avós, professores, babás- sobre as melhores táticas nesse sentido”, diz.

Invista na variedade

Ofereça alimentos frescos e caseiros, com a maior variedade possível e buscando torná-los atrativos no prato. “Crianças podem ser incentivadas, desde cedo, a experimentar de tudo de maneira saudável, sempre incluindo diariamente itens dos diferentes grupos alimentares- vegetais, legumes, frutas, grãos”, ensina Sophie.

O ideal, segundo a nutricionista, é montar um cardápio semanal contemplando diferentes tipos de grãos, proteínas, legumes, verduras. “Se hoje a criança comeu frango, cenoura, brócolis e arroz integral, por exemplo, amanhã o cuidador oferece peixe, grão de bico e outros tipos de legumes. É muito importante variar bastante e montar pratos saborosos, coloridos e atrativos visualmente, pois é assim que se cria um paladar rico e diversificado”, diz a especialista.


Leia também:

Como armazenar alimentos e mantê-los saudáveis por mais tempo?

, , , , , , ,