Ano Novo, sorriso novo! Como renovar a saúde dos seus dentes em 2020?

Que tal incluir cuidados com a saúde bucal em suas resoluções para 2020?

por outrosquinhentos.com

A virada do ano é um estímulo para começar novos projetos, como comer melhor, se jogar na academia, aprender uma nova língua, ler mais…. Ser mais saudável entra nas resoluções de ano novo de muitas pessoas, mas nem sempre a saúde bucal é considerada.

Cuidar da saúde da boca é importante não só para os dentes, mas como para o bom funcionamento do corpo como um todo. Infecções dentárias, por exemplo, quando não tratadas podem causar sérios problemas para a saúde em geral, isso porque as bactérias da boca podem viajar pela corrente sanguínea, contagiando outras partes do corpo.

“Quando temos inflamação ou infecção na cavidade oral podemos potencializar ou desencadear, por exemplo, riscos de perda óssea e dentária, problemas cardíacos, halitose, entre outras enfermidades”, explica a cirurgiã-dentista Cinthia Rachas Ribeiro, conselheira do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP).

Assim, profissionais da autarquia separaram sugestões de mudanças positivas para 2020 para priorizar a saúde bucal.

Escovação

Uma boa higiene bucal é essencial para a manutenção da saúde da boca. Para isso, realizar uma escovação adequada é o primeiro passo. É indicado a utilização de escovas-de-dentes macias para o ato e seguir as orientações de um cirurgião-dentista para utilizar a melhor técnica de escovação, que pode ser realizando movimentos circulares, verticais, entre outros. Durante o processo, a língua também deve ser escovada para retirar o biofilme que fica acumulado no músculo e evitar o mau hálito.

Importante também aplicar pouca força durante a escovação, a maneira de manejar a escova é mais eficaz para uma boa limpeza do que a força usada. Assim, evita-se o desgaste do esmalte do dente por abrasão.

Em relação ao creme dental, a cirurgiã-dentista Sandra Kalil Bussadori, conselheira do CROSP, recomenda o uso regular de um produto com pelo menos 1000 ppm de flúor. “Lembrando que também é importante usar uma quantidade adequada de creme, que é uma gota do tamanho de uma ervilha”, disse.

Fio Dental

O fio dental tem a capacidade de alcançar cantos onde nenhuma escova consegue chegar, como o ponto de contato dos dentes com a gengiva e entres os dentes. Isso o torna essencial para evitar doenças bucais como cáries e infecções de gengiva.

A pessoa deve colocar o fio com cuidado no espaço entre os dentes para que ele deslize em toda a superfície lateral do dente, inclusive na parte que é coberta pela borda da gengiva, fazendo leve pressão para que o atrito promova a remoção mecânica da placa bacteriana. Não há contraindicação de uso do fio, também devendo ser inserido na rotina de higiene bucal de crianças e pessoas com próteses e aparelhos ortodônticos.

Alimentação

O que ingerimos também é importante para garantir uma boca saudável. Bebidas alcoólicas ou escuras, como café e alguns refrigerantes, assim como carboidratos podem causar algumas complicações.

Álcool, por exemplo, deixa o pH da saliva ácido, o que pode inibir a salivação, intensificando os processos que induzem à erosão dental (desgaste). A mesma coisa acontece com ingestão exagerada de frutas ácidas, como kiwi, limão e abacaxi. Além disso, bebidas alcoólicas também podem causar alterações celulares nos tecidos moles bucais e aumentar a predisposição a câncer de boca e garganta.

No caso do café o maior problema é seu poder corante das estruturas dentais, que escurece os dentes e restaurações de resina. Os carboidratos e açúcares, por sua vez, contribuem principalmente para cáries e degradação do esmalte e dentina.

Assim, para prevenir esses problemas, sempre é recomendado o consumo moderado desses alimentos em conjunto com cuidados com a higiene bucal.

Visitas Regulares

Uma boa higiene bucal e cuidados com a alimentação, aliados com visitas regulares ao cirurgião-dentista fazem grande diferença entre uma boca doente e uma saudável. Sintomas como mau hálito, mudança de coloração da gengiva e feridas que demoram a cicatrizar devem ser corretamente diagnosticados para que infecções não se tornem um problema sério.

O câncer de boca, por exemplo, tem melhores chances de cura quanto mais cedo for diagnosticado. E, como já citado, uma cárie não tratada ou uma gengivite negligenciada  podem trazer graves complicações para a saúde geral.

“O profissional de Odontologia também deve ser procurado se a pessoa estiver apertando os dentes ou com dores na face, notar sangramentos gengivais ou se alguma lesão for observada na cavidade oral, nos lábios, língua ou bochechas”, diz a conselheira.

Quais os mitos que envolvem a saúde bucal hoje?

Se você se encaixa no enorme número de pessoas que precisa melhorar a escovação e os cuidados com os dentes, a hora é agora. Encaixe entre suas promessas para o Ano Novo melhorar a higiene bucal e invista nesse propósito. A intenção é válida. Afinal, a má higiene dentária pode levar a danos irreversíveis e consequente perda dos dentes. Para sanar suas dúvidas e ajudar você a acertar na higiene bucal, veja o que é mito e o que é verdade sobre o assunto, de acordo com a cirurgiã-dentista Bruna Ghiraldini, coordenadora de pesquisa e desenvolvimento da S.I.N. Implant System, empresa brasileira que é uma das líderes globais de implantes dentários:

– O fio dental deve ser passado antes da escovação.

Verdade. O fio dental deve ser passado antes da escovação por dois motivos. Primeiro porque ele vai promover a limpeza nas faces entre os dentes, que é uma região onde a escova não alcança. O fio dental pode espalhar os resíduos que estão entre os dentes para as faces lisas.  E nesse caso, quando a escova entrar em ação, a limpeza acontece totalmente. O outro motivo pelo qual se recomenda passar o fio dental antes da escova, é estratégica e tem relação à maior adesão das pessoas ao hábito de escovar os dentes se comparado a usar o fio dental. Sabe-se que é quase impossível deixar de escovar os dentes, após passar o fio dental. Muita gente deixa de passar o fio quando escova os dentes. E com isso, acabam ignorando o uso do fio dental e esquecendo-se de que só com ele é que a limpeza dos dentes é feita de forma completa. Isso porque o fio dental alcança espaços onde a escova não chega. Fio dental antes e escova depois é a dobradinha perfeita!

– É preciso passar fio dental todos os dias.

VERDADE. Lembre-se que o dente tem quatro faces. A escova só alcança as faces lisas dos dentes, que são duas faces e já o fio dental atinge também as faces entre os dentes. O fio dental, então, participa de 50% da limpeza bucal, por isso que ele é tão importante e deve ser passado diariamente.

– A gengivite é causada pelo mau uso do fio dental.

EM PARTE. A gengivite é ocasionada pelo acúmulo da placa bacteriana. Isso pode acontecer pelo mau uso do fio dental ou pela má escovação ou, ainda, pela baixa frequência no consultório do dentista. No entanto, aqueles que negligenciam o uso do fio dental, normalmente, vão ter um acúmulo da placa bacteriana entre os dentes e isso pode levar, sim, à gengivite.

– A gengivite pode ser evitada.

VERDADE.  A gengivite é uma inflamação da gengiva, que afeta os tecidos de proteção da boca e que causa sangramento. A partir do momento em que a higiene e a saúde são restabelecidas, a gengivite é uma doença totalmente reversível. No entanto, quando ela não é tratada, pode evoluir para uma periodontite e, aí sim, é que ela se torna irreversível, podendo até causar a perda de dentes. Para ser evitada, é preciso uma correta higienização, com escova, fio dental e manutenção, além de visitas regulares ao dentista, a cada seis meses, no mínimo. A ação mecânica da escova e fio dental, junto com os hábitos saudáveis, evitam a gengivite.

– A gengivite pode levar à perda dos dentes.

EM PARTE. A gengivite pode evoluir para um problema sério e levar à perda dos dentes, quando não tratada. Mas é bom lembrar que são duas doenças diferentes. A gengivite é uma fase inicial, mais superficial e reversível, quando tratada. Mas se não for atacada, a gengivite evolui para uma periodontite que, quando não tratada, pode levar à perda dos dentes.

– A gengivite causa mau hálito.

VERDADE. O mau hálito pode ser causado pela gengivite porque está muito relacionado à má higienização e ao aumento da placa bacteriana. Esses problemas geram o mau hálito, pois estão relacionados a uma colônia de bactérias superior ao que devemos ter na boca. Nesse caso, há um alto potencial patológico de criar doenças e liberar toxinas, o costuma levar à halitose, sim.

– Enxaguantes bucais apenas conferem um hálito fresco, mas não limpam de fato a boca.

VERDADE. Os enxaguantes bucais convencionais têm um potencial químico de matar as bactérias muito baixo, exceto alguns específicos, a base de clorexidina — que são indicados para infecções agudas ou pós-operatórios. Os enxaguantes comercializados no mercado não tem efetividade a ponto de substituir o uso regular da escova e do fio dental. O que é eficaz para a higienização da boca é a remoção mecânica da placa, que jamais pode ser substituída apenas por um bochecho com enxaguante bucal.

– Enxaguantes bucais com álcool não são indicados.

VERDADE.  Isso porque os enxaguantes com álcool têm uma indicação específica para alguns casos, mas não servem para uso diário. O uso frequente do álcool em contato com a mucosa da boca pode levar a uma descamação celular e deixar a mucosa da boca sensível. Por este motivo, não é recomendado.    

– Algumas pessoas têm predisposição a cáries.

VERDADE. Para algumas pessoas, a maior incidência de cáries está relacionada a uma condição sistêmica ou a quantidade de produção de saliva, além da tendência à mineralização dos dentes e à predisposição para se desenvolver colônias de bactérias. Hábitos alimentares ruins, como o alto consumo do açúcar também entram na lista. Tudo isso faz com que algumas pessoas tenham maior tendência para desenvolver as cáries.

– Escovar os dentes três vezes ao dia é o suficiente.

VERDADE. Normalmente, a recomendação ideal é que a higiene bucal seja realizada vinte minutos após cada refeição. Esse tempo é necessário para que o ph da boca se estabilize, para uma higienização eficiente. Escovar os dentes três vezes por dia é uma meta interessante, dada a rotina atribulada da maioria das pessoas. Mas é importante reforçar que a escovação idealmente deve ser feita após as refeições principais, como café da manhã, almoço e jantar e, também, após cada lanche ou petisco. Porém, diante do ideal e da realidade das pessoas, escovar os dentes três vezes por dia já é suficiente para manter a saúde oral em ordem.

, , , , , ,