Aos 23 anos, mãe solo cata papelão para criar três filhos

Jovem que perdeu sua mãe vítima de feminicídio, hoje cata papelão para complementar os 254 reais que recebe do Bolsa Família e alimentar os filhos

por Leandra Vianna, para outrosquinhentos.com

Crislaine Maria Ferreira das Neves, de 23 anos, é mãe solo de três filhos, um menino de seis anos, outro de três e uma menina de apenas um ano.

Ela é moradora da cidade de Timbaúba, em Pernambuco, e hoje cata papelão e vende para reciclagem para complementar os 254 reais que recebe do Bolsa Família e alimentar os filhos. Cris tem a vida difícil desde a infância.

Aos oito anos, perdeu sua mãe, grávida de oito meses, vítima de feminicídio, que morreu deixando cinco filhos pequenos – e o bebê também faleceu. Depois disso, ela foi morar com o pai, que após algum tempo foi trabalhar em São Paulo, e passou a ser criada por uma madrasta, que a maltratava muito.

Aos 15 anos, Crislaine parou de estudar, na sétima série do ensino fundamental, e foi morar com o pai do seu primeiro filho. Quando o menino completou quatro meses de vida, ela deixou o companheiro, que também a maltratava, e foi morar só. “Tive meu filho em Recife, fiquei lá só por 10 dias porque ninguém foi me buscar”, lembra.

Cris não desistiu da luta. “Tentei estudar de novo, mas meu filho não parava quieto na sala de aula, daí parei. Tenho vontade de estudar, ter uma boa profissão, comprar minha casa própria, mudar de vida”, lamenta a jovem.

Ela casou pela segunda vez e teve o segundo filho. “Também não deu certo, insisti e casei a terceira vez, tive minha menina. Hoje, não recebo pensão e vivo de 254 reais do Bolsa Família pra pagar aluguel, energia e comer”, relata.

Sustento na reciclagem de papelão

Crislaine precisou recorrer à reciclagem de papelão, ofício já exercido por sua avó de 60 anos, para ajudar no sustento dos filhos.

“Vi meus filhos precisando das coisas e eu não poder dar me dói muito. Por isso, passei a juntar reciclagem. O lucro não é muito, dá pra comprar comida, não tudo, mas já ajuda um pouco. Sexta-feira juntei uns dois sacos de papelão, deu 25 reais. Comprei mistura, ovo e mortadela, uns lanches pras crianças, três fubás, acabou o dinheiro, e assim vou levando”, conta a mãe batalhadora.

Crislaine Maria não pode contar com a ajuda da família.

“As únicas pessoas que estão sempre do meu lado são a minha avó e meu irmão mais velho, mas eles também não têm condições de me ajudar. Meu irmão está desempregado, minha avó, com 60 anos, também trabalha na reciclagem pra se manter. Meu irmão a ajuda e o que eles arrumam dividem entre si. O meu é pouco, pois não tenho como juntar muito com as crianças, aí fica só pra mim”.


Leia também:

Grupo de amigos se mobiliza para ajudar jornalista que sofre com síndrome psicossomática

Confeiteira cumpre promessa pela cura da COVID-19 e distribui lanches para população em situação de rua

Madrasta de Pernambuco faz vaquinha virtual para comprar cadeira de rodas para enteada com paralisia cerebral

Link da Vaquinha para comprar cadeira de rodas da Renata


A jovem pernambucana deseja apenas uma oportunidade para mudar de vida.

“Tenho vontade de fazer cursos de culinária. Sei cozinhar de tudo um pouco, mas só na parte de cima, nas bocas do fogão mesmo. De forno quase nada porque nunca tive um fogão que pegasse forno. O que tenho foi ganho, mas veio sem pegar o forno e só pegam duas bocas. Sei fazer brigadeiros, trufas, aprendo rápido as coisas”, conta esperançosa.

Nós acreditamos que alguma instituição de ensino pode ser parceira do OutrosQuinhentos nessa causa e oferecer um curso de culinária online para transformar a vida dessa família. Crislaine também precisa de um fogão novo para que possa praticar receitas de forno. Qualquer loja de eletrodomésticos da região de Timbaúba/PE que puder fazer uma doação será muito bem-vinda.

“Meu sonho é mudar a história dos meus filhos, dar um futuro melhor pra eles. Sei o que é passar fome, faço de tudo pra que meus filhos não passem por isso”, desabafa. As empresas que tiverem interesse em ajudar com a doação do curso ou do fogão, podem entrar em contato pelo nosso Whatsapp (12) 99190-6677.

Mais uma vez, vamos contar com a empatia dos nossos leitores e seguidores. Para ajudar Crislaine Maria você pode fazer uma doação:

Caixa Econômica
Agência: 0877
Conta poupança: 37810-1
Operação: 013

Celular da avó de Cris:
(81) 99109-1379



, , , , ,