Avenida Paulista cultural e de graça! Cinco lugares que valem a pena no coração de SP

Muito além do centro financeiro, a avenida Paulista concentra também um outro conglomerado importante: o cultural. Com atrações gratuitas, é possível o turista revisitar a história do Brasil, conhecer culturas diferentes e experiências sensoriais fora do comum

por Carolina Veneziani e Dimas Vilas Boas

Coração financeiro e cultural de São Paulo, a Avenida Paulista tem tudo o que podemos imaginar… É uma síntese do que encontramos em toda capital: uma mescla de pessoas de diversos lugares, respirando a alma de uma cidade incansável, a maior da América Latina.

Um final de semana inteiro passeando pela Avenida Paulista é pouco para explorá-la inteiramente, mas o outrosquinhentos traz cinco pontos turísticos/culturais para conhecer um pouco do que esse logradouro pode oferecer, sem gastar nada!

Casa das Rosas, Avenida Paulista, 37

Casa das Rosas abriga espaços culturais e jardins em meio à Avenida Paulista

Foi a mansão da Família Ramos de Azevedo, desde sua construção em 1935 até meados dos anos 1980.  Com a ameaça de demolição, o Estado de São Paulo a transformou em espaço cultural, inaugurado no ano de 1991, durante a comemoração dos 100 anos da Avenida Paulista.

No final de 2004, a Casa das Rosas foi reinaugurada como “Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura”, oferecendo cursos, oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, lançamentos de livros, apresentações literárias e musicais, saraus, peças de teatro, exposições ligadas à literatura etc.

Horário de Funcionamento: Terça-feira a sábado, das 10 às 22h; Domingos e Feriados, das 10 às 18h.

Para maiores informações: http://www.casadasrosas.org.br/

Japan House, Avenida Paulista, 52

Exposição Aromas e Sabores na Japan House convida – até setembro de 2018 – a uma verdadeira sinestesia cultural

Criada pelo governo japonês, a “Japan House” traz exposições de temas ligados à cultura e invenções japonesas. Objetos, pessoas, artes e novidades vindas diretamente do Japão poderão ser verificadas pelos visitantes.

A capital paulista foi escolhida, juntamente com as cidades de Londres e Los Angeles, para sediar “Japan House” e difundir a cultura milenar japonesa e suas inovações.

Até 30 de setembro de 2018, os visitantes poderão embarcar na exposição chamada “Aromas e Sabores”, em cartaz no espaço, convidando a todos a realizarem uma imersão na cultura japonesa por meio de diferentes cheiros e sabores. Entrada Gratuita.

Horário de Funcionamento: Terça-feira a sábado, das 10 às 22h; Domingos e Feriados, das 10 às 18h.

Maiores informações: https://www.japanhouse.jp/saopaulo/

SESC Paulista, Avenida Paulista, 119

A tradicional vista da Avenida Paulista diretamente do 18º andar do SESC, num Mirante que tem visita gratuita de terça a domingo

O prédio recém-inaugurado, logo no começo da Avenida Paulista, é um charme a parte. É possível tomar um café, tendo a Paulista como vista.

O 18º andar do edifício conta com um mirante, revelando o belo caos diário da Avenida Paulista, em meio a milhares de pessoas, carros e luzes.

Além disso, a unidade do Sesc Paulista conta com todas as atrações culturais habituais dos espaços SESC.

Horário de Funcionamento: Terça-feira a sábado, das 10 às 22h; Domingos e Feriados, das 10 às 19h.

Maiores informações: https://www.sescsp.org.br/unidades/9_AVENIDA+PAULISTA

Itaú cultural, Av. Paulista, 149

Exposição permanente de Olavo Setubal é considerada a oitava maior coleção corporativa do mundo

Situado exatamente ao lado do SESC Paulista, o prédio dedicado à cultura traz muito mais que uma arquitetura toda particular – desejo de seu fundador Olavo Setubal – mas a preocupação de ser acessível a todos os públicos no coração de São Paulo, o que justifica a série de reformas que a construção sofreu desde sua criação, em 1995.

O Instituto possui programações itinerantes como a Ocupação Antônio Cândido, que visitamos e fica disponível até 12 de agosto no piso térreo, e fixas como o Espaço Olavo Setubal, que divide dois andares do espaço com cerca de 500 metros quadrados e duas exposições de arte: a Brasiliana e a Numismática.

Essas duas exposições mostram parte da história do Brasil nos últimos 500 anos, além de ostentar o título de oitava maior coleção corporativa do mundo, com mais de 15 mil itens entre fotografias, gravuras, moedas, medalhas, obras literárias, obras de arte, entre outros.

Horário de Funcionamento: Terça-feira a Sexta-feira, das 9h às 20h; Sábados, Domingos e Feriados, das 11h às 20h.

Maiores informações: http://www.itaucultural.org.br/

IMS – Instituto Moreira Sales, Avenida Paulista, 2424

Uma das exposições do Instituto Moreira Sales traz o pioneirismo africano de Seydou Keïta na fotografia de estúdio, disponível até 29 de julho

Vale caminhar os dois quilômetros da Paulista (ou chamar o aplicativo, rs) para encerrar o percurso no Instituto Moreira Sales. O prédio de arquitetura moderna que foi inaugurado no ano passado e ganhou o prêmio de melhor obra de arquitetura da cidade no mesmo ano, reúne em seus sete andares um verdadeiro museu vertical, com amplas áreas para exposições, cineteatro, biblioteca, salas multiuso, entre outros espaços comuns.

Na visita de outrosquinhentos, as exposições das 136 fotografias de Seydou Keïta, um dos pioneiros na fotografia de estúdio na África; “São Paulo, fora de alcance”, que revisita de maneira documental cenários paulistanos, “Conflitos” que traz fotografias dos principais conflitos armados no país (mas que fica disponível só até 29/07) e a videoinstalação “Îles flottantes”, uma verdadeira sinestesia de artes audiovisuais, organizadas por Douglas Gordon.

Horário de Funcionamento : Terças a domingos e feriados (exceto segundas), das 10h às 20h. Às quintas, exceto feriados, das 10h às 22h. Última admissão 30 minutos antes do horário de encerramento

Maiores informações: https://ims.com.br/unidade/sao-paulo/


Carolina Veneziani

Carolina Veneziani tem 23 anos, é advogada, joseense de nascimento e argentina de coração. Em sua formação descobriu um prazer sem igual por entender e ajudar as pessoas, dando-as acesso à Justiça. Acredita fortemente no ser humano como agente transformador da sociedade, sendo impulsionado por meio da educação de qualidade. Gosta de boa música, viagens, conhecer culturas e pessoas e ouvir histórias de vida.

Dimas Vilas Boas

Dimas Vilas Boas é jornalista, especialista em gestão de comunicação em mídias sociais, fotógrafo e empreendedor. Flerta com a fotografia social desde 2012, época em que criou a Foto Vilas Boas, até hoje em atividade. É apaixonado por música, turismo e biografias. Acredita que nasceu para empreender e aproximar pessoas por meio de uma comunicação autêntica e livre de amarras. Se considera do tipo de pessoa que passa horas ouvindo e compartilhando sobre a vida e suas inspirações, desde que – é claro – acompanhado de um bom café.

, , , ,