#BBB21 e a tortura psicológica: quais os reais danos que ela pode causar?

Depois da saída de Lucas Penteado do BBB21, o tema causou revolta nas redes sociais. Mas você sabe quais os danos causados pela tortura psicológica? 

Da Redação | outrosquinhentos.com | Foto de Capa: Reprodução TV Globo

Na manhã do último domingo, o participante do BBB21 Lucas Penteado, decidiu deixar o programa. A gota d’água para Lucas, aconteceu depois do beijo que trocou com Gilberto. Lucas acabou, mais uma vez, repreendido por participantes da casa.

Desde o começo do programa, Lucas estava sendo criticado por outros participantes depois de um desentendimento na primeira festa com Kerline, já eliminada. E, a partir daí, ele passou pelo que a psicóloga Josiane Souza explica ser a tortura psicológica.

“Tortura é este abuso exacerbado. Presenciamos várias vezes na casa a Karol Conká (cantora), uma mulher que tem depreciado o tempo todo e perseguido Lucas. Humilhação, desprezo tratar como alguém superior ao outro, com tom autoritário. Isso é tortura psicológica. Falas como: ‘você vira essa cara de bosta pra lá’, ‘você não pode comer na hora em que estou aqui’. Os danos psicológicos são graves”.

Josi conta que receber um ‘tratamento’ como este, pode causar doenças psicológicas difíceis de serem tratadas e evoluir até para casos mais graves.

“Uma pessoa quando é torturada psicologicamente, ela começa a se desculpar a todo momento de suas ações, começa a desacreditar de si mesmo, destrói a autoestima, pode levar a um quadro depressivo, ansiedade, estresse pós traumático. Em alguns casos, até suicídio”.

Além disso, segundo Josi, esse tipo de tratamento afeta o equilíbrio emocional tão necessário para sobrevivência no mundo.

“Aos poucos uma pessoa que é atacada, ela vai sofrendo uma despersonalização lenta e implacável. Ela já não sabe mais quem ela é porque tais falas são introjetadas como uma verdade. Se eu vou ouvindo o tempo todo: ‘você é burro, você não tem valor, você não é capaz, você é inútil’ … de tantas agressões verbais eu começo a me questionar a minha própria capacidade. Eu introjeto a fala do outro como uma verdade e começo a acreditar que eu sou aquilo que dizem que eu sou. Essa hora eu já não sei mais quem eu sou. Começo a me perguntar: eu sou o que o outro diz? O que o outro pensa? Aquilo que eu escuto o tempo todo?”.

A psicóloga alerta que todos tem que ter muito cuidado com aquilo que dizem, “porque uma fala maldita pode acabar com uma vida. E eu levanto uma reflexão: até que ponto um ser humano é capaz de ir pra fama e para o sucesso para ganhar e destruir um ser humano para ganhar algo ali? Até que ponto um ser humano é capaz de se perder ou neste programa se mostrar quem realmente é para ganhar ibope, audiência ou o milhão? Tá na hora de rever os conceitos, pensar nos valores e ter responsabilidade social. Tá na hora de ter mais empatia para se colocar no lugar do outro. Porque uma fala, pode destruir uma vida”.



, , , , , , , , , , ,