Casos novos de câncer de mama têm média de 26 notificações mensais na Santa Casa de São José

Campanha Outubro Rosa traz alerta para a prevenção e diagnóstico precoce da doença

por outrosquinhentos.com

O câncer de mama é o tipo da doença mais comum entre as mulheres, após os 50 anos, depois do de pele não melanoma. De janeiro a setembro, a Santa Casa de São José dos Campos notificou 235 novos casos do problema, o equivalente à 26 registros mensais. Ao longo de todo este mês, a campanha Outubro Rosa reforça a conscientização para a prevenção e o diagnóstico precoce da doença, e o prédio da instituição filantrópica ficará iluminado pela cor.  Haverá ainda, no hospital, ações internas, como a fixação de cartazes e palestras de conscientização sobre o tema.

O câncer de mama pode ser percebido em fases iniciais, na maioria dos casos, por meio de alguns sinais, como a presença de nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor; pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações e/ou saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos e pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço. É importante que a mulher sempre observe suas mamas e, ao perceber qualquer mudança, procure um médico. “Quando detectado em fase inicial, o câncer de mama tem maiores chances de cura”, fala o médico coordenador do setor de Oncologia da Santa Casa de São José dos Campos, Dr. André Prestes.

O especialista ressalta que cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis. “Manter o peso adequado, ter uma alimentação saudável e praticar atividade física estão entre as principais ações para reduzir os fatores de risco e prevenir a doença”, lista o Dr. André.

Para as mulheres que acabaram de ter bebê, soma-se à essas medidas a amamentação. Enquanto o bebê suga o leite, o movimento promove uma espécie de esfoliação do tecido mamário e, se houver células agredidas, elas são eliminadas e renovadas. Ao fim da lactação, várias células se autodestroem, entre elas, algumas que poderiam ter lesões no material genético. Outro benefício do aleitamento materno é que as taxas de determinados hormônios que favorecem o desenvolvimento desse tipo de câncer caem durante esse período.

Mulheres que possuem casos na família de câncer de mama bilateral, câncer de ovário ou câncer de mama masculino, devem iniciar o acompanhamento médico aos 35 anos.

Mamografia

O Ministério da Saúde recomenda que, na faixa etária de 50 a 69 anos, a mamografia seja feita a cada dois anos. O exame permite identificar melhor as lesões mamárias em mulheres após a menopausa.

Neste ano, mais de 3.500 mulheres já realizaram a mamografia na Santa Casa de São José dos Campos.

, , , , , ,