Com apenas 23 anos, empreendedor de Taubaté lança startup que promete revolucionar o setor imobiliário

Alexandre Dubugras, ao lado de outros dois sócios, já levantou 3,3 milhões de dólares em investimentos para a empresa

Da Redação | outrosquinhentos.com

Com apenas 23 anos, Alexandre Dubugras acaba de lançar sua segunda empresa, a Alude, startup de tecnologia voltada para os corretores de imóveis. Natural de São Paulo e residente de Taubaté, já trabalhou no Vale do Silício, pelo EBANX e, na sequência, fundou a Smartlike, companhia de automação de marketing focada no Instagram. Em janeiro deste ano, se juntou aos sócios Jota Junior e Alef Miranda para lançar a Alude, onde ocupa o cargo de CEO.

Revolucionando o mercado imobiliário

Lançada em 2020, a Alude é uma empresa de tecnologia que fornece um software capaz de automatizar a burocracia enfrentada pelos corretores imobiliários. Com um processo de locação 100% online, a startup pretende atuar em parceria os profissionais do setor, para que eles possam dar mais segurança e oferecer uma experiência rápida, segura e cômoda para seus clientes.

Recentemente, a companhia fechou sua rodada seed com um aporte de USD 3,3 milhões co-liderado pelos fundos de investimento Ribbit Capital, Y Combinator, Maya Capital e GFC. Também participaram da rodada os investidores pessoas físicas como Hugo Barra e os fundadores da Stone, Vivareal, Wildlife, Brex, Gympass, Ingresse e Plaid. Com os recursos, a startup pretende aprimorar o produto e escalá-lo, aumentando a distribuição para os corretores.

Com tecnologia própria, o software da Alude é responsável pela verificação de antecedentes, coleta de documentos, assinatura online e compra de seguros. Isso possibilita redução de custos e horas de trabalho para os corretores, que deixam de perder clientes devido à burocracia. Já os inquilinos vão ter uma experiência segura e rápida – é possível concluir todo o processo em apenas um dia. O produto é oferecido de forma gratuita para imobiliárias tradicionais.

“Nossa missão é empoderar o corretor com as ferramentas e conhecimento necessários para que ele foque toda a sua atenção no cliente, melhorando o atendimento, sem se preocupar com prazos e burocracias. Queremos ser o sistema operacional utilizado por todo o mercado imobiliário brasileiro e intermediar massivamente suas transações”, explica Alexandre Dubugras, CEO da Alude.

O faturamento da companhia é proveniente da venda de produtos financeiros e domésticos para seus clientes, como seguros, por exemplo. No futuro, a Alude pretende atuar como concierge e oferecer entre outros serviços, internet, móveis, logística para mudanças, além de processar pagamentos.

Crescimento

Até o fim de 2020, a plataforma deve ser utilizada por corretores convidados – 150 já utilizam o produto com 100% dos clientes, enquanto outros 150 aguardam na lista de espera. A expansão está prevista para 2021 e a meta é fechar o ano com 20 mil locações.

“Nossa meta é fechar o próximo ano com 20 mil locações. Contar com a confiança de fundos nacionais e estrangeiros apostando em nosso negócio é uma grande motivação para aprimorar ainda mais nossa solução e ganhar escala”, afirma Alexandre.

, , , ,