Como o liberalismo econômico de Paulo Guedes vai influenciar os investidores em 2019?

Rodolfo Manfredini, assessor da Plátano Investimentos de São José dos Campos, esclarece a relação entre o liberalismo econômico e a viabilidade da entrada de capital estrangeiro

Da Redação*

A semana começou com grandes expectativas com relação a participação do presidente Jair Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. O grande objetivo é mostrar que o Brasil está mais aberto ao mundo, com foco no liberalismo econômico e nos investimentos estrangeiros.

Na posse do Ministro da Economia, Paulo Guedes, chamou muita atenção o discurso liberal econômico da “Escola de Chicago” visando privatizações, impostos com alíquotas mais brandas, menor participação do Estado na economia e a liberação do Brasil das “armadilhas da socialdemocracia” que imperou no país desde a redemocratização. Mas afinal, qual a relação entre “liberalização” e as boas perspectivas do mercado financeiro para 2019 em diante?

Antes de mais nada, é preciso fazer uma análise da “socialdemocracia” implantada no Brasil pelos governos de Fernando Henrique Cardoso e Lula-Dilma, nos últimos 25 anos. De maneira bem simples, a socialdemocracia se propõe a criar um arcabouço público com bens mínimos para o cidadão, principalmente saúde e educação e protegendo a população de mercantilismos, ao mesmo tempo em que promove o livre mercado e o capitalismo.

Um dos principais instrumentos das sociais-democracias é a tributação progressiva, isto é, maior tributação direta (na renda e patrimônio) e menor peso na tributação indireta (consumo de bens e serviços). Não me parece que se criou uma estrutura de tributação progressiva no Brasil na últimas décadas; muito pelo contrário, o Brasil tem um dos sistema tributários mais complexos e injustos do mundo, com forte peso na tributações indiretas e com regressividade única.

Segundo ponto importante: o Bolsa Família, principal cabo eleitoral dos últimos governos, é um programa que foi idealizado no Banco Mundial. Notadamente, este é um programa social de caráter “liberal” que foi muito criticado pelos próprios petistas quando adotado pelo governo de FHC (com o nome de Bolsa Escola).

Portanto, o que se viu no Brasil nas últimas décadas não é “socialdemocracia” e muito menos “liberalismo econômico” e sim, um emaranhado de programas mal planejados e mal executados, por um Estado ineficiente, inchado e com gastos excessivos.

Mercado Financeiro

Qual a relação entre esta discussão liberalismo econômico versus socialdemocracia com os meus investimentos em 2019? Tudo!

O diagnóstico de Paulo Guedes pode ser exagerado com relação “as amarras da socialdemocracia”, porém as reformas de atuação do Estado na economia, privatizações e notadamente a reforma da previdência, são importantes para tirar o Brasil das “armadilhas” dos privilégios corporativistas, setoriais e históricos que tornaram a economia brasileira uma das mais fechadas do mundo. Menos Estado na economia e reformas substanciais são sinônimo de investimentos, crescimento econômico, bom humor entre agentes econômicos e Bolsa de Valores subindo.

Com “agenda reformista média”, a XP Investimentos aponta que a B3 (Bolsa de Valores Brasileira) deverá atingir patamares entre 115-125 mil pontos em 2019, frente ao patamar de 85-90 mil pontos das últimas semanas.

Quatro pontos pesam nesta perspectiva: revisão positiva das expectativas para empresas de capital aberto para 2019 e 2020; redução da taxa de desconto das ações na bolsa; a entrada de capital e, finalmente, o aumento de alocação em bolsa dos Fundos de Investimentos, que hoje está no patamar de 5,5% contra média histórica de 8,4%.

Vale lembrar que a taxa Selic permanece no menor nível histórico. Desta forma, é o momento de investir na Bolsa Brasileira, pois estamos em uma janela de oportunidade que pode trazer bons resultados aos investidores. Sempre com exposição responsável de acordo com os riscos e perfil de cada cliente, e com orientação do Assessor de Investimentos.

*com contribuição de Rodolfo Manfredini, assessor da Plátano Investimentos de São José dos Campos

, , , , , , , , , , , ,