Dandara Pagu: conheça o novo ícone do Clubhouse

Comunicadora digital e criadora de conteúdo do Recife, @dandarapagu é o novo ícone do aplicativo; sorriso da brasileira irá saudar milhões de membros da comunidade a partir de hoje

Da Redação | outrosquinhentos.com | São José dos Campos

O aplicativo de áudios Clubhouse anunciou a brasileira @ dandarapagu como o seu mais novo ícone. Nascida em Recife, Pernambuco, a história de Dandara é familiar para muitos brasileiros que, superam uma vida com situações de pobreza e violência, por meio de uma incrível força, personalidade e energia.

Dandara Pagu é uma voz singular que representa o melhor da comunidade Clubhouse, e a plataforma orgulha-se em ter seu sorriso contagiante dando boas-vindas a milhões de pessoas à medida que se conectam e descobrem algo novo.


Leia também: Fazendo o bem na pandemia! Bancária cria coletivo para ajudar diaristas do Rio de Janeiro

Dandara passou a se destacar no Clubhouse brasileiro quando começou a moderar conversas incrivelmente tensas sobre assuntos como feminismo e raça entre pessoas estranhas, ajudando-os a encontrar um terreno comum. Em menos de dois meses, já contava com 16 mil seguidores na plataforma.

Nesse período, Dandara também moderou várias salas, dentre elas a do evento SOS Acre no Clubhouse, que ajudou a levantar R﹩ 100 mil para famílias necessitadas daquele estado.

Hoje, ela frequentemente se vê atravessando o abismo da ideologia política e social para promover o diálogo com outros, até mesmo com aqueles que negam seus direitos básicos como mulher negra.

Dandara vem de uma família com 12 irmãos, quatro dos quais faleceram ainda na infância – e fala abertamente sobre como sobreviveu a abusos físicos na juventude – dona de um profundo senso de empatia e otimismo, que lhe ajudaram a superar a dor emocional.

Dandara é ativista, produtora, líder dentro do movimento body positive e batalhadora dos direitos humanos, principalmente das mulheres negras. Para Dandara, o anti-racismo é uma jornada compartilhada que melhora a vida de todos.

“O racismo é uma doença que infelizmente afeta a todos. Algumas pessoas vão sofrer mais, outras vão sofrer menos”, explica.

“Acho que o negro não tem obrigação de explicar… mas me sinto tranquila falando de coisas que, graças a Deus e aos Orixás, já resolvi na terapia. Eu resolvi dentro de mim e posso falar sobre isso hoje. Já sofri violência sexual, já sofri muita coisa. Atuo partindo do princípio de que, se alguém está me ouvindo ou quer me ouvir, quer mudar “.

Para Dandara, as pessoas a acompanham no Clubhouse pelo mesmo motivo pelo qual ela mesma foi atraída pela plataforma: a capacidade de ser ela mesma.

Ela descreve a sensação de se tornar a protagonista de sua própria história, de se sentir vista e, principalmente, de ser ouvida em vida.

A atualização do ícone do aplicativo será disponibilizada para parte dos usuários do Clubhouse hoje e disponível para todos até o final da semana.



, ,