Diabetes e outras doenças metabólicas podem afetar a audição

Que o som alto e fones de ouvido podem prejudicar a audição não é segredo para ninguém, mas o que muita gente não sabe é que as síndromes metabólicas também podem afetar o sistema auditivo e até mesmo causar surdez

Da Redação | outrosquinhentos.com | São José dos Campos

De acordo, com o otorrinolaringologista do sistema Hapvida, Jefferson Takehara, as doenças metabólicas como distúrbios da tireoide, glicemia e o colesterol elevados têm uma influência tão importante nas perdas auditivas, quanto as lesões causadas pela exposição à sons altos.

“A glicemia glicada acima de 7, por exemplo, tem uma influência muito grande em casos de perda auditiva e labirintites. Isso acontece porque o açúcar elevado no sangue pode afetar os receptores da audição e sensores nervosos do labirinto levando ao processo de perda auditiva e tonturas”, explica.

Leia também: Especialista alerta sobre os riscos da “febre” dos fones de ouvido

Ainda de acordo com o médico, após a pandemia tem sido ainda mais frequente a ida ao consultório de pessoas com queixas de zumbido nos ouvidos e tonturas, um dos sintomas mais frequente das labirintites.

“Isso tem acontecido porque muita gente deixou de fazer o acompanhamento clínico adequado durante a pandemia e agora está com os índices metabólicos alterados o que tem causado prejuízos também ao sistema auditivo. Nestes casos é muito importante cuidar do quadro clínico geral para proteger a audição”, explica.

E tem mais… Mitos e Verdades sobre o narguilé: quais os riscos à saúde?

Ao apresentar sintomas auditivos como zumbido no silêncio, perda auditivas e tonturas é importante procurar um médico para realizar uma avaliação clínica e tratar as causas do problema.

Quer ficar por dentro de tudo o que fazemos e receber nossas novidades primeiro? Faça parte do grupo OutrosQuinhentos no Whatsapp! É fácil, é rápido e é grátis! Envie QUERO para o nosso whatsapp (12) 99190 6677 ou clique aqui e entre direto no grupo.



, , , , , ,