Primeiro mês de campanha nas redes sociais é marcado por liderança isolada de Bolsonaro e crescimento de Haddad e Ciro

Facada sofrida por Jair Bolsonaro é o tema mais citado no Twitter nos últimos 30 dias; evento também impulsiona os posts da página do candidato no Facebook

Da Redação

O debate sobre os cinco presidenciáveis mais bem posicionados em pesquisas no primeiro mês de campanha oficial (de 16 de agosto a 16 de setembro) mobilizou 22.572.583 postagens no Twitter. Neste período, Jair Bolsonaro (PSL) se consolidou como o candidato mais citado tanto por perfis conservadores quanto progressistas, ressaltando a polarização das discussões na rede.

O pico de publicações no debate ocorreu no dia 06 de setembro, repercutindo o ataque sofrido pelo candidato do PSL durante ato em Juiz de Fora (MG). Naquele dia, o volume de referências chegou a mais de 1,4 milhão em apenas quatro horas (16h às 20h). Além dos comentários questionando a veracidade da agressão e as mensagens de apoiadores, houve crescimento de temáticas associadas a políticas de segurança pública, como discussões sobre a efetividade da flexibilização do Estatuto do Desarmamento e a liberação do porte de armas para civis; críticas a discursos de apologia a violência; e comentários sobre outros políticos que também sofreram atentados, como o assassinato de Marielle Franco.

Bolsonaro foi também responsável pelo segundo ápice de interesse do período, motivado por sabatina da bancada do “Jornal Nacional” no dia 28 de agosto. A interação entre a jornalista Renata Vasconcellos e o presidenciável foi o principal assunto das discussões, em que se observa protagonismo da âncora do jornal ao rebater fala do deputado sobre diferença salarial entre homens e mulheres, repercutindo a pauta sobre gênero.

Haddad e Ciro crescem

A evolução no Twitter sinaliza ainda o aumento das posts sobre Haddad, em especial a partir do dia 11 de setembro, data da oficialização de sua candidatura. Haddad foi o presidenciável com maior crescimento em comparação com os demais candidatos analisados. O debate sobre o ex-prefeito de São Paulo ganha robustez após participação na sabatina promovida pelo “Jornal Nacional” na última sexta-feira (14). Haddad foi destacado em 266,6 mil tuítes das 19h de sexta às 07h de sábado (15). A repercussão da entrevista com o petista perde apenas para a provocada com a sabatina de Jair Bolsonaro, realizada no dia 28, que teve 1,3 milhão de posts em um período de tempo similar. Haddad segue fortemente associado a Lula e a temáticas sobre corrupção e sobre seu desempenho nas pesquisas eleitorais.

Ciro Gomes é o candidato com a segunda maior tendência de crescimento, sobretudo após a sabatina no “JN” em 27 de agosto. Além da entrevista, usuários passaram a divulgar vídeos antigos mostrando o candidato em momentos de descontração e ressaltando características de sua personalidade. O ápice do interesse sobre Ciro ocorre no dia 11 de setembro, após publicação de vídeo pelo “Buzzfeed News” em que o candidato, em tom jocoso, brinca que falou “Beyoncé” durante uma entrevista, não “A, B ou C”. Ciro também aparece relacionado ao voto útil diante do crescimento das intenções de voto em Bolsonaro e Haddad.

O pico de menções sobre Marina Silva foi motivado pelo debate presidencial na Rede TV!, realizado no dia 17 de agosto. O confronto entre a candidata e Bolsonaro mobilizou, principalmente, a temática de gênero, em comentários defendendo que Marina, por ser mulher, teria mais autoridade em temáticas envolvendo maternidade do que Bolsonaro. Após o episódio, Marina perde espaço, retornando apenas a partir do dia 09 de setembro. O reaquecimento das menções à candidata também é associado a Bolsonaro, em publicações sobre gênero ou que destacam Marina como alternativa ao deputado. Vale mencionar ainda a hashtag #elasim entre os Trending Topics do Twitter, impulsionada por apoiadores tanto de Marina como da candidata a vice na chapa de Haddad, Manuela D’Ávila.

Interações nas páginas dos presidenciáveis no Facebook

As postagens da página de Jair Bolsonaro no Facebook apresentaram o maior número de interações e a maior curva de crescimento entre os presidenciáveis. O pico de interações ocorreu no dia 16 de setembro, motivado por transmissão ao vivo na rede, direto do hospital, em sua primeira aparição filmada após o ataque que sofreu em 07 de setembro. Ao todo, a transmissão gerou cerca de 1,3 milhão de interações e 6,6 milhões de visualizações, e Bolsonaro obteve mais de 400 mil engajamentos, em média, por cada uma das cinco postagens que fez no dia em que divulgou o vídeo na plataforma. Com sobras, o melhor desempenho diário de um candidato à Presidência no período analisado. O número de interações das postagens da página de Haddad no Facebook segue a tendência de crescimento das menções a ele no Twitter no mês de setembro, apresentando a segunda maior curva de crescimento entre os candidatos. O aumento é impulsionado pela oficialização de sua candidatura, assunto responsável pelo pico de postagens no dia 11.

O melhor desempenho das publicações na página de Marina repercute confronto com Bolsonaro no debate na RedeTV!, impactando no crescimento da média de interações, sobretudo na primeira semana de agosto. Após este período, observa-se arrefecimento nas discussões sobre a candidata. As páginas de Ciro e Alckmin apresentaram comportamento similar, marcado pela redução no crescimento entre 19 e 26 de agosto, com crescimento na primeira semana de setembro, seguida por novo arrefecimento nos últimos dias do período.

, , , , , , , , ,