Escritório em casa é opção mais econômica para profissionais autônomos

São mais de 8 milhões no Brasil. A dica de home office é valorizar os conceitos de arquitetura e urbanismo para ser produtivo, agradável e funcional

Da Redação

O home office já é uma realidade para muitos brasileiros. O número de profissionais autônomos cadastrados como microempreendedores individuais (MEI) ultrapassou 8 milhões no final de abril, de acordo com dados do Portal do Empreendedor¹. Para a maioria deles, integrar o ambiente de trabalho ao lar tem sido uma opção econômica, que facilita conciliar as atividades profissionais e pessoais.

Marianna Mar Lins Sant’Ana, docente da área de arquitetura e urbanismo do Senac São José dos Campos, orienta que o primeiro passo é analisar o espaço da casa como um todo, priorizando instalar o home office em uma área que seja próxima à entrada, com boa iluminação e que comporte os equipamentos e materiais de trabalho.

“Contratar um profissional de design de interiores ou arquitetura para auxiliar nesse processo garante o desenvolvimento de um ambiente prático, organizado, confortável, seguro, ergonômico e harmônico. É natural que o proprietário deseje um ambiente com muitos elementos, mas vale ressaltar que eles podem não ser funcionais. O ideal é deixar aparente apenas o que for essencial.”

Marianna ressalta que o planejamento deve considerar o levantamento de todos os objetos que irão compor aquela cena para, posteriormente, realizar uma pesquisa de preços de mobiliário. “A disposição dos móveis deve corresponder à atividade que será realizada ali, de forma fluída e acessível. Se for uma profissão que exija contato com muitos papeis, é indispensável o uso de organizadores.”

A luz natural também deve ser valorizada, desde a abertura de janelas e portas até a utilização de cores claras para difundir a luz no ambiente. “Já a iluminação artificial precisa ser disposta conforme a necessidade do ambiente e do tipo de trabalho. Profissionais de costura, por exemplo, devem direcionar o fluxo luminoso para o equipamento usado.”

Mercado em ascensão

O desenvolvimento de espaços como o home office, além de proporcionar um ambiente agradável e produtivo, movimenta o mercado. Segundo o Anuário de Arquitetura e Urbanismo 2018², em 2017 aconteceu a retomada do crescimento do setor. Foram realizadas 1,4 milhão de atividades, crescimento de 2,5% em relação ao ano anterior, com destaque para o segmento de reformas, que registrou 20% mais atividades desde 2015.

“Para os profissionais da área, o momento é propício para se atualizar; e para quem deseja entrar no mercado, a hora é a de se profissionalizar. O Senac São José dos Campos oferece diversas capacitações na área de arquitetura e urbanismo, fortalecendo o currículo e a presença dos profissionais que se especializam no mundo do trabalho. “

Entre os cursos de curta duração com inscrições abertas, estão: Cores para AmbientesDecoração PráticaFeng ShuiGestão de Escritórios de Arquitetura e DesignIntrodução ao PaisagismoJardinagem; e Planejamento para Acompanhamento de Obras de Design de Interiores.

Para obter mais informações e fazer inscrição, acesse o Portal Senac: www.sp.senac.br/sjcampos. A unidade fica na Rua Saigiro Nakamura, 400 – Vila Industrial – São José dos Campos/SP.

¹http://www.portaldoempreendedor.gov.br/estatisticas

²https://www.caubr.gov.br/anuario-de-arquitetura-e-urbanismo-2018-traz-principais-informacoes-sobre-o-setor/

, , , , , ,