Especialista indica acupuntura para tratar dores em pets

Professora de Medicina Veterinária diz que técnica ajuda no tratamento de artrites, problemas locomotores e comportamentais

Da Redação | outrosquinhentos.com | São José dos Campos | Foto de Capa: Thinkstock

A dor é uma experiência individual, um mecanismo de proteção do corpo, que serve como resposta a estímulos nocivos e quando não controlada pode gerar efeitos indesejáveis. Os animais são seres sencientes, ou seja, também têm capacidade de sentir e demonstrar emoções, como o sofrimento e a dor.

Por isso, os médicos veterinários cada vez mais se preocupam em identificar e tratar a dor deles. Uma das técnicas usadas atualmente que tem trazido resultados positivos é a acupuntura.


Leia também: Quarentena pode causar ansiedade e depressão em animais de estimação

A professora de Medicina Veterinária na Faculdade Anhanguera, Thayná Neves Cardoso, especialista em acupuntura e fisiatria, além de doutora em patologia animal, explica que a técnica milenar de inserção de agulhas em pontos específicos da pele (acupontos) por onde passam canais (meridianos) com a finalidade de equilibrar o fluxo de energia (Qi) e regular as funções orgânicas do corpo também é eficaz para o tratamento da dor nos animais, pois age na modulação desses mecanismos, o que promove o equilíbrio e normaliza os geradores de dor no organismo dos bichos.

A especialista diz que, por meio de trabalhos científicos, ficou comprovado que a acupuntura age em mecanismos neurológicos e na liberação de substâncias químicas no corpo, como neurotransmissores e hormônios. Com isso, é possível usar técnicas relacionadas à acupuntura para restaurar a função e tratar diversas alterações do corpo do animal.

As indicações mais comuns e mais efetivas são para controle de dor e inflamação, inclusive artrites, artroses, problemas locomotores e tratamento de alterações na pele, hormonais e comportamentais. De acordo com Thayná, em geral, os animais aceitam bem o tratamento com agulhas, já que são muito finas e não geram dor ou desconforto na aplicação. “É importante o médico veterinário ser experiente em manejar e acalmar corretamente esses animais para conduzir a sessão de maneira mais tranquila e prazerosa possível”, diz.

Ela explica que a acupuntura veterinária é igual a humana, já que são aplicadas as mesmas técnicas, mas com adaptação dos mapas com os meridianos e acupontos sendo estudados principalmente em cavalos e cachorros. “As agulhas são as mesmas que usadas em humanos, mas com diâmetro e comprimento mais confortável às espécies e raças dos animais.”

A professora da Anhanguera afirma que a vantagem da acupuntura em relação aos tratamentos convencionais para dor, quando aplicada por profissionais qualificados, é que há poucos efeitos colaterais associados e promove efeito analgésico considerável. “Há poucas contraindicações associadas, uma delas é evitar eletroacupuntura em animais muito debilitados, com problemas cardíacos e determinados pontos devem ser evitados em fêmeas gestantes, por poder estimular o parto prematuro”, explica.

A quantidade de sessões varia de acordo com o problema do pet. Thayná comenta que problemas crônicos, geralmente, precisam de mais sessões que os agudos.



, , , ,