Especialista indica como usar o 13º salário com inteligência

Disciplina e planejamento garantem uma vida financeira saudável durante todo o ano

por outrosquinhentos.com

Entre novembro e dezembro, milhares de trabalhadores com carteira assinada recebem o tão esperado 13º salário. No mesmo período, os gastos tendem a elevar-se com festas e presentes de Natal, viagens de férias, matrícula e material escolar, além dos impostos federais, estaduais e municipais. Identificar as urgências e usar o dinheiro com inteligência ajuda a entrar no novo ano com a vida financeira equilibrada.

Francisco de Sousa Roberto Junior, docente da área de gestão e negócios do Senac São José dos Campos, explica que o 13º oferece a oportunidade de pedir desconto de juros e multas, saldar dívidas em atraso e até mesmo investir. “A aplicação vai depender da situação de cada família. Se as contas estão sob controle, aproveite para fazer compras e viagens. Se estiverem no vermelho, quite as dívidas”, afirma.

Uma boa aplicação do 13º é pagar em cota única o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). “Por mais que o valor possa parecer pequeno a longo prazo, o desconto para pagamento à vista pode fazer a diferença. Esse raciocínio vale para qualquer pagamento parcelado. Sempre faça as contas se vale a pena poupar mais um tempo e pagar à vista no ato da compra”, reforça.

Para quem não tem problema de ordem financeira, Francisco ressalta que o 13º pode ser poupado para uma emergência, ou completar as economias de quem planeja fazer aquela sonhada viagem para o exterior, seja para passear ou aprimorar um outro idioma. “Já para quem vai às compras, a estratégia é pechinchar. Tenha em mente que cada comerciante se esforça para atrair o cliente, então, é comum encontrar produtos de qualidade com preço competitivo”, orienta.

O docente enfatiza que planejar, gastar bem e ter disciplina garantem passar o ano todo sem apertos. “Estabeleça os gastos fixos do ano, desenvolva um planejamento e tenha uma espécie de reserva para os custos fixos. Somente com planejamento é possível ter uma visão clara de onde vem o dinheiro e como ele é usado, permitindo rastrear cada despesa e melhorar a aplicação do dinheiro”, completa Francisco.

, , , , , , , ,