Intercâmbio pode se tornar mais barato e menos burocrático com passaporte europeu

O passaporte europeu ajuda em vários momentos da viagem de quem quer estudar fora do Brasil. Com ele é possível, por exemplo, viajar por todos os países da União Europeia sem necessidade de visto

por Patricia Mora, para outrosquinhentos.com*

O passaporte europeu garante ao seu titular diversas vantagens, como o direito de viver, estudar e trabalhar na Europa com menos burocracia e valores muito mais em conta. Na prática, o passaporte garante a dupla cidadania, o que quer dizer que seu titular passa a ser considerado cidadão de outro país, podendo viver ali como habitante local.  Quem tem dupla cidadania passa a ter os mesmos direitos que quem nasceu em território europeu, o que inclui permissão para trabalhar, votar e usar serviços públicos de educação e saúde.

Para quem está programando um intercâmbio, por exemplo, vale a pena saber que a maioria das universidades europeias possui uma tabela de preços diferenciada para cidadãos europeus e estrangeiros. O passaporte europeu ajuda em vários momentos da viagem de quem quer estudar fora do Brasil. Com ele é possível, por exemplo, viajar por todos os países da União Europeia sem necessidade de visto. Ele também elimina diversas outras burocracias do processo. Na Irlanda, por exemplo, que é um destino muito escolhido por estudantes brasileiros, com o passaporte europeu não é preciso se preocupar com o chamado IRP (Irish Residence Permit), que é um documento que comprova o estudo e permite que se more ali por um tempo determinado. Com isso, é possível economizar alguns euros também. O documento também facilita a comprovação de renda mínima, que muda de um lugar para outro.

Leia também: Quer saber tudo sobre cidadania italiana e europeia? Conexão Brasil-Itália em outrosquinhentos.com, a coluna de Patricia Mora está no ar

Das sete cidadanias europeias mais solicitadas por brasileiros, Portugal está no topo da lista, e em segundo lugar aparece a cidadania italiana. Para brasileiros, as cidadanias europeias mais fáceis de obter são a italiana e a portuguesa, por motivos históricos. Para quem é fluente em Italiano, o passaporte europeu tem mais um benefício incrível, que é poder prestar qualquer concurso público na Itália com ele. Por ser um país colonizado, o Brasil tem em sua história a influência de vários imigrantes e segundo a Legislação Brasileira, é possível que o cidadão brasileiro obtenha cidadania estrangeira por meio de nascimento em território estrangeiro, ascendência estrangeira ou naturalização. Hoje o Brasil ocupa o oitavo lugar no ranking dos países que mais concedem cidadania europeia.

Em 2021, o passaporte italiano foi eleito o terceiro mais poderoso do mundo, de acordo com o ranking Henley Passport Index, permitindo a entrada em 188 países sem necessidade de visto de turismo. Também existe um acordo bilateral entre as Previdências do Brasil e da Itália que garante que o brasileiro possa se aposentar em território italiano somando o tempo de contribuição nos dois países. Até quem pensa em investir nos Estados Unidos tem benefício com a cidadania italiana – enquanto um brasileiro precisa apresentar um plano de negócios com investimentos de US$ 500 mil dólares por lá, o cidadão italiano precisa declarar apenas US$ 100 mil dólares.

*Os textos dos colunistas são de responsabilidade de seus autores e não necessariamente expressam a opinião de outrosquinhentos.com
Quer ficar por dentro de tudo o que fazemos e receber nossas novidades primeiro? Faça parte da lista de Assinantes OutrosQuinhentos! É fácil, é rápido e é grátis! Envie QUERO para o nosso whatsapp (12) 99190 6677 ou clicando aqui.



, , ,