Já preparou hoje a dose diária de whey protein… da sua avó? Saiba o porquê do consumo desse suplemento por mulheres acima de 65

É possível começar um programa de treinamento para fortalecimento muscular depois dos 65 anos e uma ideia ainda melhor é usar suplementos, como o whey, para contribuir neste objetivo

Da Redação

Certamente você já ouviu falar do whey protein, suplemento obtido a partir do soro do leite, usado por pessoas que exercícios físicos. A novidade é que um estudo, publicado no jornal científico Geriatrics & Gerontology International, apontou que a suplementação com whey, após treinos de resistência, é eficaz para a prevenção da sarcopenia em mulheres idosas.

A sarcopenia é a perda da massa muscular que ocorre a partir dos 50 anos, devido ao processo natural do envelhecimento. Um estudo brasileiro apontou que a partir dos 70 anos, a perda muscular é progressiva e aos 80 anos, cerca de 45% dos idosos apresenta o problema.

Segundo o nutricionista esportivo, Diogo Círico, consultor da Growth Supplements, a perda da força muscular tem várias consequências para pessoas idosas. “Um bom funcionamento dos músculos é essencial para os movimentos corporais, assim como para manter o equilíbrio. Portanto, o risco de quedas aumenta de forma significativa nas pessoas com mais de 65 anos nos casos em que há inatividade física”.

“Além da perda da massa muscular, os idosos perdem massa óssea, o que pode levar à osteoporose. Como consequência, uma simples queda pode causar uma fratura e deixar o idoso acamado ou incapacitado. Quanto mais tempo parado, maior a perda da massa muscular”, comenta Círico.

“Por isso, o ideal é realizar atividades físicas para fortalecer os músculos e adotar medidas preventivas para a perda óssea e muscular, ainda na juventude. Mas, também é possível começar um programa de treinamento para fortalecimento muscular depois dos 65 anos e uma ideia ainda melhor é usar suplementos, como o whey, para contribuir neste objetivo”, ressalta Círico.

Como foi feito o estudo?

O estudo foi feito no Japão, com 81 mulheres saudáveis, com idades entre 65 e 80 anos. O grupo foi dividido em três. O primeiro grupo realizou exercícios e usou um suplemento de whey após os treinos. O segundo grupo realizou somente os exercícios. O terceiro grupo apenas usou o suplemento de whey.

A pesquisa durou 24 semanas, com treinos feitos duas vezes por semana. A dose do whey foi de 22,3 g, sendo depois ajustada de acordo com o peso de cada participante. Os pesquisadores avaliaram a massa muscular antes e depois do estudo. Os resultados mostraram que o índice de massa muscular aumentou significativamente no grupo que praticou os treinos e usou o suplemento de whey. O mesmo grupo também apresentou melhora no aumento da força e na velocidade da marcha.

Um pouco mais sobre o whey

Círico explica que o whey protein é um suplemento de alto valor biológico, com grande concentração de proteínas e aminoácidos. “Entre os principais benefícios do whey estão o aumento do volume muscular, a potencialização da resposta na recuperação dos músculos após treinos de força e o combate à inflamação do tecido muscular”.

O processo de filtragem da matéria-prima para a produção do whey inclui processos sofisticados de extração da proteína do soro do leite, que garante um baixo percentual de gordura e de carboidrato, pontos fundamentais para reduzir o risco de desenvolver doenças crônicas, como o diabetes e a obesidade, por exemplo. De acordo com Círico, a concentração proteica do whey chega a 80%.

“Esse estudo foi importante, pois mostrou que os idosos também podem se beneficiar do suplemento, visando ao aumento da força muscular e à uma melhor qualidade de vida. Porém, é preciso sempre procurar um médico ou nutricionista para orientação de como usar, principalmente quando falamos de idosos”, finaliza o nutricionista esportivo.

, , , , , , , , , , , ,