Memórias Perdidas – A noite que se Aproxima: um espetáculo sobre questionamentos da vida de quem convive com a doença de Alzheimer

Peça teatral beneficiada pelo Fundo Municipal de Cultura de São José dos Campos estreia em plataforma on-line neste sábado (8), às 21h

por outrosquinhentos.com

Um espetáculo sobre memórias reais ou ficcionais e a perda dessas lembranças em decorrência do Alzheimer.

Com o propósito de tocar as pessoas por meio da arte e trazer a reflexão dos sintomas desse tipo de doença e, também chamar a atenção para a invisibilidade dos idosos na sociedade, estreia de maneira on-line neste próximo sábado (8), às 21h, a peça ‘Memórias Perdidas – A noite que se Aproxima’.

O projeto proposto pela atriz Simone Sobreda, com a direção de Caren Ruaro e dramaturgia de Rogério Guarapiran, estará disponível na íntegra com tradução e interpretação de libras, por meio da plataforma virtual Zoom. Para assistir, basta clicar neste link a partir da data e horário de lançamento.

A peça ficará disponível por 30 dias e também poderá ser assistida pelo Vimeo da MasterShot, produtora audiovisual do espetáculo.

A peça ‘Memórias Perdidas – A noite que se aproxima’ é um projeto beneficiado pelo Fundo Municipal de Cultura de São José dos Campos, no qual foi contemplado pelo edital nº 020/P/2018, no ano passado.

Em sua versão original, a estreia do espetáculo estava programada para o dia 7 de abril, com apresentações previstas nos teatros da cidade, Casas do Idoso, Escolas com Educação de Jovens e Adultos (EJA) e Centro De Formação Do Educador (CEFE), além de oficinas e rodas de conversas presenciais. Porém, devido à pandemia em decorrência do novo Coronavírus (COVID-19), algumas atividades precisaram se adaptar ao formato on-line.

No espetáculo, conforme a atriz manipula alguns objetos, algumas memórias vêm à tona trazendo questões sobre as mulheres que são ensinadas a cuidar de tudo e de todos desde a infância, como avós, mães, filhas e noras.

A peça trata também da síndrome do ninho vazio, da perda de um filho e o quanto isto pode acarretar para a saúde de uma mãe. Além disso, falamos de sintomas, de cuidados e de políticas públicas relacionadas aos pacientes e aos familiares cuidadores desses pacientes com Alzheimer.

A linguagem teatral trazida ao palco é a recriação de fragmentos da biografia de Simone, desencadeados pela descoberta do Alzheimer em sua mãe. De acordo com a atriz outra missão muito importante da ‘Memórias Perdidas – A Noite que se Aproxima’ é que os homens e as mulheres se questionassem sobre a carga de trabalho e de cuidados que sobrecarregam as mulheres.

Olhe para o lado: quantos homens você conhece que cuidam de suas mães idosas? Por que os cuidados da casa, da família, dos bebês são responsabilidade primária das mulheres? O quanto as mulheres permanecem em casa para que os homens conquistem seus espaços na sociedade?”, compartilha a criadora do projeto. Simone ainda acrescenta que, durante o percurso, “dúvidas, incertezas, as relações familiares e questionamentos sobre a vida e os cuidados com a doença são trazidos à tona”.

Processo Criativo

As gravações ocorreram no dia 27 de junho com duas apresentações, no CAC – Centro de Artes Cênicas Walmor Chagas. No dia 28, foi realizada uma roda de conversa com a equipe sobre o processo, mediada pelo diretor André Ravasco. Essa roda de conversa foi filmada, está em processo de edição e será disponibilizada em breve.

O levantamento do espetáculo, processo criativo e todos os ensaios anteriores ocorreram no Teatro da Rua Eliza. No período pré-pandemia, foi possível a realização da palestra ‘Alzheimer, a vida como proteção’, no dia 3 de outubro de 2018, na Casa do Idoso Sul. Foi produzido também um documentário com entrevistas de três famílias com pacientes com doenças neurodegenerativas.  O documentário está disponível neste link. E, no dia 7 de março deste ano, foi realizada uma oficina de ‘Teatro Narrativo’, com a diretora do projeto Caren Ruaro, no Teatro da Rua Eliza.

Crédito capa: Melissa Rahal

, , , , ,