Riqueza nutricional de cascas, sementes e talos é maior do que os próprios frutos e hortaliças

Especialista dá dicas de como aproveitar integralmente os alimentos para evitar desperdício

Da Redação

O brasileiro desperdiça cerca de 26 milhões de toneladas de alimentos por ano, boa parte durante o preparo da comida, quando ocorre o descarte de cascas, sementes e talos de frutas e hortaliças, aponta o relatório Desperdício de Alimentos, apresentado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), na Convenção Abras 2017.

Estudos científicos, entretanto, apontam que justamente essas partes descartadas concentram a verdadeira riqueza nutricional. Elas podem conter valores significativos de minerais, fibras vegetais, cálcio, proteínas e vitaminas que contribuem com o bom funcionamento do organismo, o que reforça a importância de aproveitar os alimentos integralmente.

“Algumas opções são fazer geleias à base de cascas de manga, mamão e maçã; salpicão com a entrecasca da melancia; docinhos ou bombons com casca do abacaxi; ou até mesmo transformar as cascas em farinha e, assim, acrescentá-la aos poucos nas refeições diárias”, diz a docente da área de gastronomia do Senac São José dos Campos, Gilda Guadalupe.

Segundo ela, o que não faltam são técnicas culinárias que estimulam a integração de cascas, sementes e talos ao cardápio do dia a dia, permitindo criações em forma de molhos, croquetes, sopas, refogados e patês. “É importante planejar seu uso integral para evitar perdas. Comprando a couve-flor inteira, por exemplo, defina quando utilizar as folhas, as flores e os talos, variando a forma de preparo, enriquecendo o cardápio e experimentando novas texturas e sabores.”

Antes de consumir qualquer alimento que não faz parte do costume da família, é preciso consultar se ele possui ou não propriedades benéficas à saúde. “A mandioca brava, diferente da mandioca de mesa (macaxeira), é conhecidamente tóxica, então não deve ter seus talos usados. Outro cuidado permanente deve ser a verificação da procedência dos produtos e, se possível, escolher alimentos orgânicos. Nunca deve-se também esquecer de higienizar as frutas e hortaliças antes de consumi-las.”

Conheça mais sobre as propriedades dos alimentos

Batata doce: pode ser preparada e consumida com a casca, pois possui quantidade maiores do mineral potássio (responsável pela transmissão dos impulsos nervosos e movimento dos músculos) do que a própria batata.

Cascas do maracujá, abóbora, banana, maçã, goiaba, manga e abacaxi: ricas em fibras vegetais que ajudam o intestino a funcionar.

Talos de salsa, cebolinha e coentro: além de cálcio e vitamina A, ajudam no sabor das preparações.

Talos de agrião, couve manteiga, beterraba e couve-flor: possuem cálcio, importante na formação e manutenção dos ossos e dentes.

Sementes de abóbora, jaca e melão: apresentam valores importantes dos minerais zinco, magnésio, ferro e fósforo, além de fibras.

Folhas de couve-flor, beterraba, nabo, abóbora e a rama de cenoura: possuem quantidade significativa de cálcio, que participa na formação de ossos e proteínas, que são os “tijolinhos” de formação do organismo.

, , , , , , , , ,