Seu pet dorme na cama com você? Veja cuidados para manter a família saudável

Prevenir doenças é essencial para que os animais de companhia e os tutores convivam com mais conforto e saúde

Da Redação

O Brasil é o país com a segunda maior população do mundo de cães e gatos, de acordo com pesquisas realizadas pela Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet). São mais de 20 milhões de gatos, enquanto o número de cães ultrapassa os 50 milhões. Estima-se que mais da metade deles dorme dentro de casa junto aos tutores.

Se o animal de estimação dorme na cama do tutor, é preciso atentar a alguns cuidados, pois diversas doenças podem ser transmitidas aos humanos – são as chamadas zoonoses. O médico-veterinário Alexandre Merlo, gerente técnico de animais de companhia da Zoetis, nos conta algum dos fatores mais importantes a se observar.

Limpeza

Este é um fator muito importante quando se fala em manter a saúde da família. Quando o cão volta de um passeio na rua, pode trazer consigo toda a sujeira encontrada na calçada. “Por isso, dependendo de onde o animal foi, é importante realizar a limpeza das patinhas antes de entrar em casa”, recomenda o veterinário.

Outra dica é manter o animal protegido de vermes e protozoários, como o Giardia lamblia, que causa a giardíase. A infecção é bastante comum e o contágio pelo ser humano pode ocorrer quando há a ingestão de água ou alimentos contaminados pelos cistos (“ovos”) do protozoário, que são eliminados pelas fezes de cães.

“O contato com as fezes é mais comum do que se pensa e pode ocorrer com mais facilidade quando os cães dormem na cama. Diferentemente dos humanos, os animais não se limpam após defecar. Com isso, a sujeira da região perianal pode passar para os lençóis”, explica o gerente de animais de companhia.

Para protegê-los da giardíase, cuidados básicos de higiene e controle da fonte da água de bebida são muito importantes. A vacina também é uma excelente opção. Apesar de haver tratamentos disponíveis, as reinfecções são frequentes na maioria dos casos, pois os cistos eliminados nas fezes podem contaminar novamente o ambiente e causar nova infecção.

A Zoetis disponibiliza a vacina GiardiaVax, única no mercado para auxiliar na prevenção da giardíase em cães. A vacina também reduz a quantidade e o tempo de excreção de cistos caso um animal vacinado tenha contato com esse protozoário. Administrada em duas doses na primeira vacinação e em dose única anual para animais já vacinados, GiardiaVax é indicada para cães saudáveis a partir de oito semanas de idade, com intervalo de duas a quatro semanas entre as doses. A proteção é conferida 15 dias após a segunda aplicação.

Prevenção de pulgas, sarnas e carrapatos

Pulgas, carrapatos e ácaros causadores de sarna podem proliferar rapidamente nos cães, prejudicando sua saúde e bem-estar. “A picada desses parasitas nos humanos também pode causar alergia e transmitir doenças”, alerta Alexandre. 

Causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei, a sarna é uma parasitose extremamente contagiosa. A transmissão para os humanos pode ocorrer por contato direto com os animais enfermos. A melhor prevenção é evitar o contato e protegê-los com medicamento adequado.

O Simparic, por exemplo, é indicado somente para cães e é apresentado como comprimido palatável. O medicamento atua em carrapatos, pulgas e três tipos de sarnas, mantendo alta eficácia por até 35 dias após uma única dose.  Já o antiparasitário Revolution trata e controla a sarna sarcóptica. Em forma de pipetas, que devem ser aplicadas no pescoço tanto do cão como do gato, o produto também elimina vermes intestinais. Ambos são produzidos pela Zoetis.

Dermatite atópica

O controle da dermatite atópica é outro ponto que merece atenção. Cães que têm doença alérgica se coçam muito durante a madrugada, de acordo com Alexandre Merlo. “Uma queixa comum dos tutores nos consultórios veterinários é a perda de uma noite tranquila de sono”, indica o veterinário.

Para o controle da coceira causada pela dermatite atópica, Alexandre recomenda Apoquel, que age nas vias específicas de inflamação e prurido. Uma pesquisa feita pela Zoetis demonstrou que, após o tratamento com Apoquel, 88% dos cães passaram a dormir melhor. A qualidade de vida se estendeu à família: 77% dos entrevistados relataram que o próprio sono ficou mais tranquilo. O estudo foi realizado com 247 tutores de cães acima de 1 ano de idade.

, , , , , ,