Planejamento financeiro pode garantir um 2020 saudável e de realizações

Especialistas dão dicas de como começar o ano no azul: segredo está em analisar o ano como um todo e depois partir para o cotidiano

por outrosquinhentos.com

Muito mais do que festas e confraternizações, o fim de ano é também um ótimo momento para refletir sobre as finanças pessoais e realizar um planejamento para o ano que vai começar. “Um bom planejamento financeiro pode ajudar qualquer pessoa a passar do status de devedor, para o de investidor. É uma excelente ferramenta para, não só refletir como foi o ano, quais os erros e acertos em relação ao dinheiro, mas também para entender aonde você quer ir, o que quer conquistar”, explica Luciana Ikedo, planejadora financeira e assessora de investimentos.

A honestidade na hora de listar todos os ganhos e gastos, o autoconhecimento e a disciplina são, segundo ela, alguns dos principais desafios de quem precisa iniciar. “A grande dificuldade é a organização, apenas por uma questão de hábito mesmo. Quando se encerra o primeiro mês, fica muito mais fácil incorporar o controle financeiro na rotina”, acrescenta Luciana.

E, como sabemos que começar algo novo é sempre muito difícil, ainda mais quando se trata de dinheiro, separamos algumas dicas da especialista para garantir que, em 2020, você assuma o protagonismo financeiro da sua vida e tenha um ano mais próspero e saudável, cheio de realizações. Confira!

1) Tenha em mente qual será o orçamento base do ano. Quais são as receitas fixas que devem entrar? “Sabendo qual será o seu saldo positivo, fica muito mais fácil de provisionar o que cabe dentro daquele montante”, explica Luciana.

2) Saiba também quanto irá gastar. Anote gastos fixos como aluguel ou prestações já existentes, mensalidade de escolas, cursos, impostos obrigatórios etc. Acompanhar mensalmente essa lista também é importante para garantir que o planejamento está sendo seguido. Qualquer gasto extra deve entrar imediatamente na lista.

3) Repense a utilização de carnês de loja, cartões de crédito ou até mesmo empréstimos bancários.

4) Estipule um valor a ser poupado e investido mensalmente. Faça isso sempre no início do mês, antes de realizar qualquer outro pagamento. Ter uma conta de investimentos para direcionar os recursos poupados ajuda muito transferir o valor destinado à essa finalidade assim que a receita entrar, também. “Tornar o investimento uma prioridade é essencial para que seja possível evitar o endividamento de curto prazo, como limite do cheque especial ou parcelamento da fatura do cartão de crédito, que são os mais caros do mercado.

5) Inclua no orçamento também os desejos e sonhos: aquela viagem de férias ou aquele final de semana de descanso podem ser ainda melhores, e sem surpresas, se planejados e couberem no orçamento.

6) Ao final do ano, reveja tudo que passou, metas e objetivos cumpridos e faça um novo planejamento.

No dia a dia: Economizar no cafezinho e fazer uma previsão semanal são algumas das dicas para poupar

Quando se fala em estabilidade financeira, podemos imaginar três pontos fundamentais: qualidade de vida, patrimônio e reserva financeira. Afinal, é importante ter momentos de lazer, um legado de segurança e uma reserva em investimentos para momentos difíceis.

Mas, o primeiro passo, geralmente, é o mais difícil para a maioria das pessoas: como juntar dinheiro para alcançar esses objetivos?

“Conquistar o sonho de ter segurança financeira é um desafio para muita gente, principalmente porque não somos educados para lidar com as nossas finanças. A maioria das pessoas passa a vida vivendo em função das suas dívidas e fazendo o inverso dos hábitos de segurança”, explica Carlos Terceiro, CEO e fundador do Mobills, aplicativo para gestão de finanças pessoais.

Separe os gastos fixos e variáveis: Para isso, entenda por despesas fixas aquelas que necessitam ser pagas mensalmente, como água, energia, aluguel e plano de saúde, por exemplo. Na hora de planejar esses gastos é necessário levar em consideração o valor que eles vão representar no orçamento do mês. Para os variáveis, o ideal é estipular um teto máximo para os gastos. Entende-se como gasto extra todos que não ocorrem em todo mês e que podem apresentar grande variação de valor.

Estabeleça um parâmetro de quanto você deseja poupar: Faça isso se baseando na sua renda mensal. O mínimo indicado gira em torno de 10% do salário, mas o ideal é que esse valor atinja pelo menos o patamar de 30%. Se no atual momento não for possível economizar os 10%, comece com 1%, o importante é iniciar e tentar evoluir a cada mês.

Separe uma reserva para objetivos de curto, médio e longo prazo: Fazendo essa separação o ideal é priorizar os de médio e longo prazo. Ou seja se conseguiu reservar 30% do seu salário, 15% podem ser destinados para investimentos nos quais você não irá mexer por bastante tempo, como um título de longa duração do Tesouro Direto ou ações de empresas. Neste exemplo, o ideal é investir os outros 10% em títulos de médio prazo, algo em torno de 12 a 36 meses, e a menor parte, cerca de 5%, deve ser separada para investimentos de curto prazo.

Faça uma previsão semanal: Tente prever a quantia que vai precisar para os gastos diários e limite-se a utilizar somente o valor planejado por semana. Se a sua despesa com alimentação é de X, e se na quinta-feira esse valor já tiver sido alcançado, você poderá recorrer a outras medidas, como levar comida de casa.

Corte gastos desnecessários: Na maioria dos casos, os grandes vilões para o sumiço do salário antes do final do mês são os gastos impulsivos ou desnecessários, como pequenas compras ocasionais que juntas somam valores que poderiam ser poupados. Um cafezinho pós almoço ou um happy hour são super saudáveis, mas eles podem ser reduzidos para uma vez na semana.

Utilize um aplicativo de controle financeiro: Para fazer boas escolhas e não gastar por impulso, uma boa dica é consultar um aplicativo de controle financeiro e checar se as despesas estão de acordo com o planejamento. O Mobills, por exemplo, é um app que realiza uma análise completa sobre ganhos e gastos em um layout visual com gráficos e porcentagem, centraliza informações sobre contas, cartões, investimentos, despesas e rendas, que, além de poder ser consultado a qualquer hora e lugar.

Crie alternativas de renda extra: Muitas vezes a renda mensal não é o bastante para que seja possível guardar dinheiro. Se já apertou o orçamento, pagou as dívidas, cortou despesas desnecessárias e mesmo assim não consegue poupar o que gostaria, uma alternativa pode ser criar fontes de renda extra. Pense bem no que você sabe fazer que poderia lhe render um rendimento ao final do mês, existem muitos aplicativos e site destinados a contratação de freelancers, é o caso do GetNinjas e 99Freelas.

, , , , , , ,