Mulher&

Problemas na tireoide afetam 20% das mulheres acima dos 60

Com o objetivo de conscientizar a população sobre os problemas na glândula, comemorou-se no último sábado (25) o Dia Internacional da Tireoide

Com o objetivo de conscientizar a população sobre os problemas na glândula, comemorou-se no último sábado (25) o Dia Internacional da Tireoide

De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, cerca de 10% das mulheres acima dos 40 anos e 20% das que estão acima de 60 anos apresentam complicações na tireoide. Com o objetivo de conscientizar a população em relação às anomalias que podem ser desenvolvidas nesta glândula, comemorou-se no último sábado (25) o Dia Internacional da Tireoide.

A tireoide está localizada na parte anterior do pescoço, logo abaixo da região conhecida como Pomo de Adão ou gogó. Os hormônios produzidos pela tireoide – T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina) – agem na função de órgãos vitais como coração, cérebro, fígado e rins. Eles interferem no crescimento e desenvolvimento das crianças e adolescentes, na regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, no peso, na memória, na concentração, no humor e no controle emocional, garantindo o equilíbrio do organismo.

“Quando a tireoide não está funcionando de forma adequada ela pode liberar hormônios em excesso, provocando o hipertireoidismo, ou em quantidade insuficiente causando o hipotireoidismo. Outro problema relacionado a ela seria o aparecimento de nódulos tireoidianos, podendo ser benigno ou maligno”, comenta a endocrinologista da Ativia Saúde, Drª Marina Lais, acrescentando como pode ser realizado o diagnóstico e o tratamento desses problemas.

“As causas podem ser desconhecidas ou por doenças autoimunes. É possível diagnosticar esses problemas através de exames de sangue que dosam os hormônios e anticorpos contra a tireoide ou um ultrassom de tireoide. Após o diagnóstico, o tratamento pode ser realizado com a reposição do hormônio tireoidiano, radio iodo nos casos dos nódulos produtores de hormônio ou até cirurgia”, explica a médica.

Lançada em 2008 pela Federação Internacional da Tireoide, a data tem como principal objetivo promover o entendimento dos problemas da glândula, além dos desafios enfrentados pelas pessoas com alterações. “Apesar das mulheres serem as mais acometidas com problemas na tireoide, todas as pessoas, independente de sexo e idade, estão sujeitas a alterações desta glândula por isso é importante ensinar as pessoas de que todos nós temos tireoide e por isso precisamos acompanhá-la anualmente”, finaliza a especialista.

Cuidar da tireoide exige informação e atenção

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, doenças tireoidianas, como o hipotireoidismo, o hipertireoidismo e o câncer de tireoide afetam mais de 750 milhões indivíduos no mundo, mas cerca de 60% destas pessoas desconhecem o problema.

O surgimento de nódulos na glândula tireoide é outra ocorrência comum. Geralmente são benignos e não precisam ser removidos. No entanto, é importante que sejam acompanhados por um especialista para avaliar possíveis alterações, alerta o Dr. Daniel Lerario, mestre e doutor pela Escola Paulista de Medicina

“No caso de nódulos malignos, ou câncer na tireoide, o tratamento recomendado é a extração da glândula através de cirurgia. Neste caso, a reposição hormonal será necessária pelo resto da vida.”

Diagnóstico

As alterações na tireoide podem afetar qualquer pessoa, em qualquer idade, mas há alguns grupos de risco, como mulheres, idosos, pessoas com histórico familiar de disfunção da glândula e para aqueles(as) que ficam muito expostos(as) à radiação.

Por vezes, os sintomas de distúrbios na tireoide são bastante inespecíficos, o que pode dificultar o diagnóstico. Tais sintomas podem incluir:

– Alteração no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes

– Desregulação do ciclo menstrual

– Distúrbios de memória

– Quadros de depressão

Em caso de dúvidas, o médico endocrinologista é o especialista responsável pelo diagnóstico dos principais problemas relacionados à tireoide.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *