Sesc SP traz 13 exposições na capital, interior e litoral

A visitação será permitida apenas mediante agendamento prévio disponibilizado pelo portal do Sesc São Paulo, pelo link sescsp.org.br/exposicoes

Da Redação | outrosquinhentos.com | São Paulo

Em consonância com as orientações dos órgãos de saúde, do governo do estado de São Paulo e das prefeituras municipais, o Sesc São Paulo dá continuidade à retomada parcial de suas atividades presenciais, seguindo medidas para prevenir o contágio e a disseminação da Covid-19.

A instituição recebe público agendado para visitas presenciais e gratuitas a 11 exposições nas unidades nas unidades da capital (Avenida Paulista e Santo Amaro), da Grande São Paulo (Osasco e Santo André) do interior (Araraquara, Bauru, Campinas, Jundiaí, Piracicaba e Taubaté) e do litoral (Santos).

Além disso, oferece duas mostras produzidas integralmente para ambiente digital, realizadas pelas unidades Pompeia e Itaquera .

Entre os destaques, estão a mostra “Viver até o fim que me cabe!” – Sidney Amaral: uma aproximação, no Sesc Jundiaí, que reúne, sob a curadoria de Claudinei Roberto da Silva, uma parcela importante da vasta produção de Sidney Amaral (1973-2017), artista brasileiro falecido precocemente; e a mostra digital “Combater ficção com ficção”, que está em cartaz no ambiente virtual do Sesc Pompeia dedicado a experimentações em artes visuais.

A mostra exibe ao público postagens de imagens, vídeos e textos do acervo do Instagram @newmemeseum, perfil anônimo criado no final de julho de 2020 que aborda, com humor e ironia, situações da arte e do campo cultural brasileiro.

Essa é a última semana para visitar a 15ª Bienal Naïfs do Brasil: Ideias para Adiar o Fim da Arte, que está em cartaz no Sesc Piracicaba até 25 de julho.

Com a participação de mais de 100 artistas de diferentes regiões do país, a Bienal Naïfs do Brasil traz discussões sobre temas como meio ambiente; o feminino como força social, como divindade e como figura do sagrado; as violências estruturais históricas; os espaços de coletividade e sociabilidade em ritos, festas e cerimônias; e o debate sobre objetualidade e utilidade.

O público pode visitar as exposições de forma gratuita e presencial, mediante agendamento prévio online através da página de cada unidade no Portal do Sesc São Paulo ou em sescsp.org.br/exposicoes.

Para assegurar o distanciamento recomendado entre os visitantes, as vagas para as sessões são limitadas e variam conforme a unidade, sempre respeitando o limite de até cinco pessoas a cada 100 m2 e a ocupação limitada da capacidade total de cada local. O uso de máscara é obrigatório durante todo período de permanência na unidade.

Além de visitas presenciais agendadas às exposições, o Sesc São Paulo oferece também, na plataforma Sesc Digital, a possibilidade de acesso, de forma online, a diversos conteúdos das mostras exibidas nas unidades da instituição. São materiais criados com o objetivo de complementar a experiência dessas exposições.

plataforma é regularmente abastecida com conteúdos inéditos. O público pode acessar vídeos-passeio, entrevistas com artistas e curadores, séries, reproduções de obras, catálogos e publicações educativas tanto de exposições que estavam em cartaz nos últimos meses – e cujo acesso teve alcance restrito, em função das medidas de combate à Covid-19 – quanto de mostras realizadas em outros anos.

Confira a programação completa das exposições que podem ser visitadas presencialmente em unidades do Sesc São Paulo, mediante agendamento prévio online:

Capital e Grande São Paulo

Sesc Avenida Paulista

Oficina Molina – Palatnik

Dois artistas conectados pelo apreço ao lúdico e pelo prazer da invenção, Abraham Palatnik (1928-2020) e Mestre Molina (1917-1998) são nomes emblemáticos da história da arte brasileira que integram o Acervo Sesc de Arte. Um diálogo entre suas produções artísticas compõe a mostra Oficina Molina – Palatnik.

Neste encontro, o diálogo poético entre as obras de diferentes épocas da trajetória de Palatnik e Molina, artistas que compartilham um mesmo período histórico, evidencia que a ação de um objeto no espaço e no tempo, o movimento, é matéria plástica de inegável qualidade sensível.

Período expositivo: até 28 de agosto de 2021.

Sesc Osasco

Distraídos Venceremos

Fruto de uma pesquisa da poeta, compositora e curadora Alice Ruiz, a instalação homenageia a trajetória de Paulo Leminski (1944 – 1989) e marca três décadas de seu falecimento.

O projeto gráfico assinado pelo artista Miguel Paladino traz uma espécie de jogo de luzes que revela os poemas paulatinamente – artifício que se evidencia ainda mais ao entardecer.

Painéis trazem uma série de poemas do escritor curitibano, um autêntico representante da poesia marginal e aclamado pela crítica como um dos mais expressivos poetas de sua geração.

Sesc Santo Amaro

Trabalhadores Ilustrados

O trabalho ocupa um espaço na vida das pessoas que, por vezes, se confunde com a própria noção de identidade. A partir desta premissa, a mostra apresenta ilustrações – especialmente a partir da produção literária brasileira de meados do século 20 – focando em obras nas quais os personagens têm suas trajetórias de algum modo relacionadas a seus trabalhos.

Curadoria: Chico Homem de Melo.

Período expositivo: até 31 de outubro de 2021.

Sesc Santo André

reAlices: narrativas artevisuais

Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, é um dos grandes clássicos da literatura mundial, derivando em filmes, obras de arte, animações e muitas outras produções que ocupam o imaginário coletivo.

O Sesc Santo André apresenta uma mostra que traz a interpretação artística de oito artistas – Guta Moraes, Mauro Yamaguti, Renan Santos, Nicole Bustamante, Mariana Ser, Ariádine, Alex Rodrigues e Daniel Esteves – sobre a obra literária. Esse é o mote de reAlices: narrativas artevisuais.

A exposição foi desenhada para transformar a galeria da unidade em uma porção de páginas imaginadas pela personagem título do livro. A ativação do espaço da unidade também colabora com a ideia da narrativa, já que se trata de um grande corredor, onde é possível imaginar um caminho cronológico transformado de acordo com os espaços em que Alice passa.

Período expositivo: até 12 de setembro de 2021

Interior

Sesc Araraquara

Marcelo D’Salete – A história negra em quadrinhos

A exposição, que teve sua primeira montagem realizada no Museu Afro Brasil em 2018, chega em Araraquara trazendo a obra de Marcelo D´Salete, quadrinista, ilustrador e professor, que com suas publicações como a HQ Cumbe (2014) e Angola Janga (2017), aborda a história de resistência à escravidão no Brasil pela ótica dos povos negros.

A exposição conta com pranchas originais dos desenhos de D´Salete, além de exibir exemplares de suas obras. Também estarão expostos os troféus Eisner Awards 2018, Prêmio Grampo 2018, HQMIX 2018 e o Jabuti 2018 (categoria História em Quadrinhos), estes três últimos conquistados pelo trabalho desenvolvido em Angola Janga.

Curadoria: Emanoel Araujo

Sesc Bauru

Gold – Mina de Ouro Serra Pelada

O Sesc Bauru recebe itinerância da mostra Gold – Mina de Ouro Serra Pelada, exposição do fotógrafo Sebastião Salgado, um dos nomes mais proeminentes da fotografia contemporânea.

Os mais de 50 registros que compõem a mostra, todos feitos na década de 1980, trazem ao público a realidade do que foi o maior garimpo a céu aberto do mundo, na região da Amazônia Paraense.

A exposição, que teve a sua estreia no Sesc Avenida Paulista, passando pelo Sesc Guarulhos e Sesc Birigui, tem curadoria e design de Lélia Wanick Salgado, responsável pela editoria e organização de todo o trabalho de Sebastião Salgado, co-fundadora da agência Amazonas Images e do Instituto Terra.

Curadoria: Lélia Wanick Salgado

Período expositivo: até 30 de outubro de 2021.

Sesc Campinas

Pasteur, o Cientista

Figura emblemática da ciência, um pesquisador obstinado e um mestre na divulgação científica, o francês Louis Pasteur (1822-1895) é homenageado na exposição Pasteur, o Cientista, que passou pelo Sesc Interlagos e chega agora ao Sesc Campinas.

A mostra exibe as descobertas do cientista por meio de obras organizadas em ordem cronológica e traz ao público desde a solução de um enigma químico até a vitória de Pasteur contra a raiva, doença que, no século XIX, era tida como incurável.

Organizada e concebida em 2017 pela Universcience – órgão do Ministério da Cultura da França -, a exposição tem curadoria de Éric Lapie – que assinou mostras como Leonardo Da Vinci, a Natureza da Invenção e Darwin, e faleceu antes que essa exposição estivesse pronta – e Astrid Aron.

Tem ainda curadoria científica de Maxime Schwartz e já foi exibida no Palais de la Découverte, em Paris. No Brasil, contou com curadoria de Juliana Manzoni Cavalcanti e Vanessa Pereira Mello, pesquisadoras doutoras da Fiocruz. A abertura no Sesc Campinas será no dia 9 de junho, Dia Nacional da Imunização.

Período expositivo: Até 22 de agosto de 2021.

Sesc Jundiaí

“Viver até o fim que me cabe!” – Sidney Amaral: uma aproximação

A exposição inédita “Viver até o fim o que me cabe!” – Sidney Amaral: uma aproximação homenageia a trajetória do artista Sidney Amaral (1973 – 2017).

Com curadoria de Claudinei Roberto da Silva, a exposição reúne trabalhos que transitam entre as linguagens do desenho, da pintura e da escultura, além de cadernos do artista e obras em processo.

Sidney Amaral pertenceu a uma geração de jovens artistas afro-brasileiros contemporâneos que trouxeram ao público e à crítica especializada uma produção potente, de qualidade formal, com grande densidade e com acurada crítica social..

Curadoria: Claudinei Roberto da Silva

Período expositivo: até 4 de setembro de 2021.

Sesc Piracicaba

15ª Bienal Naïfs do Brasil: Ideias para Adiar o Fim da Arte

Com a participação de mais de 100 artistas de diferentes regiões do país, a 15ª Bienal Naïfs do Brasil traz discussões sobre temas como meio ambiente; o feminino como força social, como divindade e como figura do sagrado; as violências estruturais históricas; os espaços de coletividade e sociabilidade em ritos, festas e cerimônias; e o debate sobre objetualidade e utilidade.

Curadoria: Ana Avelar e Renata Felinto.

Período expositivo: até 25 de julho de 2021.

Sesc Taubaté

#OcupaSacy

A fim de reaproximar essa figura folclórica de uma realidade cada vez mais urbana e valorizar a cultura popular, o Sesc Taubaté traz ao público a exposição #OcupaSacy.

Por meio de uma cenografia lúdica e interativa, a exposição apresenta ao público de todas as idades as lendas, histórias e curiosidades acerca da figura do Sacy.

A exemplo da ortografia que ora aparece com “y” ora com “i”. Segundo Rudá K. Andrade, curador da mostra, a palavra Sacy tem origem no tupy-guarani (Çaacy) e significa “olho de mãe” (Çaa significa “olho” e Cy, é mãe”).

Curadoria: Rudá K. Andrade

Litoral

Sesc Santos

PORTOS – Processos Orientados via Território e Ocupações Santistas

A exposição PORTOS – Processos Orientados via Território e Ocupações Santistas, reúne obras de 61 artistas da Baixada Santista em diferentes linguagens. Idealizada pela equipe técnica de programação da unidade em parceria com a curadora Ilana Goldstein, também teve a colaboração dos curadores convidados, Cristine Takuá e Carlos Papá, da Aldeia do Rio Silveira.

PORTOS busca dar visibilidade aos artistas da região e discutir as relações entre produção artística e território.

Curadoria: Equipe técnica de programação da unidade, Ilana Goldstein e colaboração de Cristine Takuá e Carlos Papá, da Aldeia do Rio Silveira.

Período expositivo: até 20 de novembro de 2021.

Mostras em ambiente digital

Sesc Pompeia

Combater ficção com ficção

Memes podem ser micronarrativas capazes de infiltrar e minar narrativas consolidadas: essa é a ideia central da mostra Combater ficção com ficção, que está em cartaz no ambiente digital , do Sesc Pompeia.

A mostra exibe ao público postagens de imagens, vídeos e textos do acervo do Instagram @ newmemeseum , perfil anônimo criado no final de julho de 2020 que aborda, com humor e ironia, situações da arte e do campo cultural brasileiro.

Curadoria: Clarissa Diniz.

Período expositivo: até 16 de agosto de 2021.

Sesc Itaquera

Ser Atleta

A exposição Ser Atleta, realizada pelo Sesc Itaquera com apoio institucional do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), acontece totalmente em ambiente virtual e traz como protagonistas os esportistas olímpicos e paralímpicos.

A proposta é apresentar de forma crítica a história do esporte olímpico brasileiro a partir da ótica dos próprios atletas. A curadoria foi realizada por Katia Rubio, jornalista, psicóloga e professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, que há mais de 20 anos se dedica à pesquisa da trajetória dos atletas olímpicos.

Curadoria: Katia Rubio.

Período expositivo: até 30 de novembro de 2021.

Agendamento de visitas presenciais a exposições: sescsp.org.br/exposicoes

Quer ficar por dentro de tudo o que fazemos e receber nossas novidades primeiro? Faça parte da lista de Assinantes OutrosQuinhentos! É fácil, é rápido e é grátis! Envie QUERO para o nosso whatsapp (12) 99190 6677 ou clicando aqui.



, , , ,