Trekking: o esporte que une aventura, espírito de equipe e raciocínio

por Claudio Davoli

Encerrando uma etapa de matérias em que contei um pouco da minha entrada nos esportes de aventura de forma linear, vou abordar nesse texto o Trekking, a modalidade que mais competi em alto nível, chegando a participar de Campeonato Paulista e Brasileiro. Foi no trekking que ganhei mais prêmios, sempre junto com a Equipe Pé na Perna e na maioria das vezes ao lado do grande amigo e competidor Edevar Lopes, mas com tantos outros amigos na equipe que seria injusto citar mais nomes.

Mas o que é Trekking? É um rali de regularidade a pé com praticamente as mesmas regras do rali de carro, ou seja, ganha a equipe que andar pelo caminho pré-determinado em uma planilha no tempo mais correto possível. Também pode se entender por Trekking, caminhada por trilha apenas como lazer, sem competição. Mas esse assunto eu vou abordar mais pra frente, em outros textos.

E como surgiu a paixão por esse esporte de aventura? Praticante de rali de regularidade de carro, eu comecei a notar que o esporte era um pouco caro, pois sempre após as provas era necessário fazer revisão, lavagem completa, ajuste aqui, outro ali… E sem patrocínio isso começa a pesar. Então um amigo me convidou para participar de uma etapa do ‘Paulista em Campos do Jordão’, na sua equipe, a Senta Pua. Adorei e vi que a manutenção era mais fácil que o rali, era só tomar banho e lavar a roupa e os ralados nos braços saravam sozinho.

Planilha de navegação do Trekking feito com o Colégio Evoluti, em São José dos Campos / Foto: Claudio Davoli

Como fazer para participar?

Existem varias organizações que promovem o esporte. Uma delas é a Iron Adventure. O Trekking é realizado sempre em equipe. Para compô-la deve ter um atleta navegador, que é aquele que interpreta a planilha e descobre o caminho, um que controla o tempo e determina a velocidade que a equipe deve andar e outros que ajudam a procurar as referências e os postos de controle que marcam o tempo e auxiliam em outras funções, como os ‘zequinhas’ do rali, comentado no texto anterior. Existe uma modalidade que chama Speed Trekking, que como no rali de velocidade, ganha a equipe que percorrer o percurso mais rápido.

O Trekking e a Educação

No trekking se trabalha várias disciplinas escolares. A interpretação de texto, cálculos de velocidade media, a orientação por bússola, a geografia e biologia do terreno e por muitas vezes até a história do local, além do trabalho em equipe, muito importante para ter um bom desempenho. O Colégio EVOLUTI de São José dos Campos realiza uma prova de trekking por ano, visando mostrar na prática para os alunos essas matérias que muitas vezes são vistas.


Claudio Davoli

Claudio Davoli Brandão tem 45 anos e é dentista com aperfeiçoamento em cirurgia, implantodontia e ortodontia, com mais de 20 anos de atuação é também voluntário numa creche de São José dos Campos e contabiliza mais de 22 mil tratamentos. Tem como hobby praticar muito esporte, incluindo os radicais.

, , , , , , ,